A contribuição inequívoca para aumentar o uso educativo das TIC, a criação de página Web por parte das escolas do ensino básico e a certificação de competências básicas em TIC pelos alunos são alguns dos principais pontos positivos na avaliação do Programa Internet@EB1, realizado por uma comissão especializada e hoje apresentado publicamente. A comissão aponta porém falhas que devem ser corrigidas, nomeadamente a nível da falta de envolvimento do Ministério da Educação, do apoio aos monitores que visitavam as escolas e ainda da resolução de avarias.

Sublinhando que o enquadramento proporcionado pela FCCN ao programa em termos logísticos e institucionais "representa uma arquitectura notável como dispositivo de base para um projecto de intervenção em larga escala", a equipa de avaliação refere que se atingiram patamares muito satisfatórios em termos quantitativos na criação de páginas web e na atribuição do Siploma de Competências Básicas. O relatório destaca ainda, em termos qualitativos, as iniciativas desenvolvidas pelas instituições de ensino superior que "testemunham claramente as potencialidades que existem neste campo".

A equipa aponta porém uma série de pontos negativos, que acabaram por ter um impacto forte no programa, não permitindo que os investimentos dessem tantos resultados como seria de desejar. De acordo com o documento, "o facto do Projecto Internet@EB1 ter nascido fora do Ministério da Educação e nunca ter conseguido um envolvimento significativo deste Ministério, constituiu um factor permanente de perturbação". Essa reflectiu-se na "indiferença" e muitas vezes "rejeição" com que os monitores designados pelas Escolas Superiores de Educação foram recebidos nas escolas.

Também o atraso no início das actividades nos anos lectivos de 2003/04 e 2004/05, somados às incertezas sobre a continuidade do programa, são factores negativos, impedindo uma planificação mais adequada das actividades. São ainda apontadas as dificuldades com os equipamentos, avarias e atrasos nas reparações, estas atribuídas à "negligência dos parceiros que importava ter mais envolvidos e em relação aos quais faltaram mecanismos eficazes que os induzissem a uma actuação mais expedita na resolução dos problemas".

Como pontos de partida para melhorias a introduzir são indicados a necessidade de investir na reflexão e produção de orientações para o desenvolvimento da qualidade educativa dos sítios web das escolas do primeiro ciclo, referindo-se ainda que a utilização educativa das TIC nas escolas "muito teria a ganhar com a existência de um portal virtual nacional".

O trabalho de análise ao Programa Internet@EB1 foi realizado durante o ano lectivo 2005/2006, decorrendo os trabalhos entre Outubro e Abril pela mão de uma equipa de investigadores da Universidade de Ciências de Lisboa e das Escolas Superiores de Educação do Porto e de Santarém.



Recorde-se que o Programa Internet@EB1 foi lançado em Fevereiro de 2002 pelo então Ministério da Ciência e da Tecnologia, em colaboração com a FCCN, e pretendia acompanhar a utilização educativa da Internet nas escolas públicas do 1º ciclo do Ensino Básico (EB1) do Continente, sendo financiado durante três anos pelo Fundo Social Europeu (FSE) através do POS_Conhecimento. O programa foi concluído em 2005 mas continua sob coordenação da Equipa de Missão Computadores, Redes e Internet na Escola (CRIE) do Ministério da Educação.

Notícias Relacionadas:

2005-02-03 - Programa Internet@EB1 com financiamento de 5 milhões de euros no ano lectivo 2004/2005

2003-11-17 - Programa Internet@EB1 entra na segunda fase de funcionamento
2002-03-19 - Mais de 75 mil computadores instalados nas escolas portuguesas

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.