De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2020, 61,1% das empresas em Portugal têm um website próprio ou do grupo económico a que pertencem. O valor representa um crescimento de 2,6 pontos percentuais em relação a 2019. Os resultados do “Inquérito à utilização de tecnologias da informação e da comunicação nas empresas” revelam que a proporção de empresas com website aumenta consoante o número de colaboradores.

Assim, destacam-se as organizações com mais de 250 funcionários, com 93,6%. Seguem-se as empresas com 50 a 249 colaboradores, com 82,5%, e as que têm entre 10 a 49 pessoas ao seu serviço, com 56,9%, sendo as últimas as únicas a registar um crescimento face a 2019, situado na ordem dos 3,6 pontos percentuais.

O INE detalha que a percentagem de empresas com websites atinge os valores mais elevados nos setores da Informação e Comunicação (94,9%), dos Outros serviços (73,0%) e dos Transportes e Armazenagem (65,5%). Já os setores do Alojamento e restauração (46,9%) e da Construção e atividades imobiliárias (57,9%) apresentam as percentagens mais baixas.

Os dados dão a conhecer que 78,7% das empresas com 10 ou mais colaboradores disponibilizam a descrição dos produtos ou serviços e listas de preços nas suas páginas web. Além disso, 56,4% tem ligações ou referências a perfis de redes sociais da organização.

Porém, apenas 12,1% apresenta a possibilidade de acompanhar as encomendas feitas online e 13% dá a oportunidade aos seus visitantes para personalizarem ou projetarem os produtos. Só 9,3% das empresas disponibilizam um serviço de chat em que uma pessoa responde aos clientes e 3% contam com um chatbot ou assistente virtual.

O INE avança que cerca de 97% das empresas com 10 funcionários utilizam computadores com ligação à Internet para fins profissionais, em especial, as do setor da Informação e Comunicação que regista 100%. O Alojamento e restauração é o setor com menor percentagem, situando-se nos 90,8%.

Ao todo, entre 2015 e 2019, Portugal registou uma proporção “ligeiramente superior à registada pela União Europeia” no que toca às empresas que utilizam computadores com ligação à Internet para fins profissionais.

Neste ano, 96,6% das empresas com 10 ou mais colaboradores acedem à Internet através do serviço de banda larga. A ligação fixa de banda larga apresenta-se como a mais utilizada, com 95,1%. Já a ligação móvel de banda larga conta com 67,1%.

As vendas online de bens e serviços realizadas pelas empresas com 10 e mais funcionários representaram cerca de 20% do total do volume de negócios em 2019: mais 1 ponto percentual do que em 2018 e mais 6 do que em 2015. Em comparação com a União Europeia, Portugal esteve abaixo da média em 2015 e 2016, superando-a nos anos seguintes.

No ano passado, 20,5% das empresas receberam encomendas de bens ou serviços através do seu website, apps ou por intercâmbio eletrónico de dados (EDI), representando um aumento de 3,6 pontos percentuais em comparação com 2018.

A proporção de vendas aumentou consoante o número de colaboradores: 17,6% nas empresas com 10 a 49 funcionãrios; 32,9% nas organizações com 50 a 249 colaboradores e 46,5% nas que têm 250 ou mais pessoas ao seu serviço. Entre os setores cujas empresas receberam mais encomendas por correio eletrónico destaca-se o dos Transportes e Armazenagem, com 28,4%, o Comércio, 27,7%, e o Alojamento e Restauração (24,3%).

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.