Uma mulher foi condenada por criar um perfil falso no Facebook e ter publicado notícias sobre a uma traição inventada, que envolve um modelo e um futebolista. O Tribunal Judicial de Braga condenou a mulher a uma multa de 1.960 euros, avança a Lusa.

A arguida de 32 anos foi condenada pelos crimes de falsidade informática e difamação, tendo ainda de pagar uma indemnização de 6.500 euros a duas ex-colegas de estágio profissional, lesadas com estas ações. Segundo o documento do tribunal, os actos remontam a 2014, levando a arguida a criar um perfil falso na rede social, utilizando o nome de uma antiga colega do estágio, com foto e dados pessoais.

Com esse perfil foram enviadas para uma revista falsas informações de uma alegada traição entre uma modelo, um futebolista e uma mulher apontada como namorada deste. Essa história acabou mesmo por ser publicada em março de 2014, replicando-se por outros meios de comunicação. A publicação viria na edição seguinte fazer um desmentido e um pedido de desculpas.

Para reunir as provas necessárias, o tribunal recorreu ao sistema de informação da Portugal Telecom, a ISP da residência da arguida, assim como o Facebook Business Record sobre a utilização de duas contas da rede social. O tribunal sublinha a gravidade dos actos, considerando-os de elevado grau de ilegalidade e dolo direto, aludindo ainda à necessidade de terminar este tipo de comportamento, que afeta as comunidades com um sentimento aflitivo de insegurança.

A pena da arguida foi aligeirada tendo em conta a ausência de antecedentes criminais, e pelo facto de desde então, nos últimos cinco anos, não haver registo de crimes, justificando assim os seus atos como isolados e circunstanciais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.