O CEO da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, já tinha dito que queria continuar a descentralizar o projeto Altice Labs e a crescer, criando novas localizações, admitindo que não há um limite para o número de Labs que podem ser criados.

Na sequência da criação de outros dois polos de incubação, um em Viseu e outro no Funchal, que complementam a estrutura principal do grupo, na Universidade de Aveiro, a empresa assinou hoje, quinta-feira, um protocolo para firmar a abertura de um polo da Altice Labs em Olhão, mais concretamente no núcleo industrial de Pechão.

“Até ao momento, não tínhamos tido as condições necessárias para aferir em que áreas em concreto poderíamos, além de marcar a diferença, ser uma mais valia para as empresas, os municípios e o sector de atividade do Turismo e dos Serviços. Hoje, tudo é mais claro e definido para a atividade a desenvolver”, explica Alexandre Fonseca em comunicado enviado às redações.

A escolha de Olhão é, nas palavras de António Miguel Pina, presidente da Câmara Municipal daquela cidade, reveladora de “uma vontade para uma visão estratégica para posicionar esta região como um pólo tecnológico”, bem como uma iniciativa que ajudará a preparar “os olhanenses para o dia de amanhã, começando hoje”.

Nesse sentido, a Altice Portugal tem vindo a dar passos concretos, no âmbito do “desenvolvimento de parcerias e diálogo com vários agentes, com as forças vivas da região e com a academia”, esclarece Alexandre Fonseca.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.