A Apple negou esta terça-feira a fixação dos preços do iPhone 6s e do 6s Plus na Rússia após uma queixa ter dado entrada junto da autoridade da concorrência daquele país.

À Reuters, a empresa declarou que os "revendedores definem os seus próprios preços para os produtos da Apple que vendem, quer no país quer no resto do mundo".

De acordo com a acusação, as suspeitas levantaram-se após os smartphones terem chegado às prateleiras de todos os 16 maiores retalhistas russos com o mesmo preço, uma "coincidência" que, para o queixoso, teria sido coordenada pela Apple.

Até à data, cinco dos retalhistas acusados já negaram estar envolvidos em qualquer esquema.

A comprovar-se, a Apple poderá ser multada em valores compreendidos entre um (13.921€) e cinco milhões de rublos (69.608€).

Segundo os resultados do último "Mapping the World's Prices", a Rússia é o 15º país onde é mais caro comprar um iPhone 6 - o preço médio fixa-se nos 695 dólares.

Relembre-se que, no passado mês de junho, a tecnológica de Cupertino começou a reembolsar vários clientes após vários tribunais norte-americanos terem decidido contra a empresa num processo que a acusava de fixar os preços dos ebooks da sua livraria virtual.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.