A Apple está a colher frutos da aposta no Apple Watch e nos AirPods. De acordo com a IDC, que disponibilizou recentemente o relatório sobre as vendas de wearables no último trimestre de 2018, estes são agora dois dos produtos mais rentáveis da marca norte-americana, que continua a liderar o segmento.

Mercado de wearables continua a crescer “puxado” pelos smartwatches
Mercado de wearables continua a crescer “puxado” pelos smartwatches
Ver artigo

No total, o mercado dos wearables, que contempla smartwatches, pulseiras e aparelhos de ouvido, cresceu 31,4% durante os meses de outubro, novembro e dezembro do ano passado. Este número implicou a quebra de um recorde comercial, que se traduziu na remessa de 59,3 milhões de equipamentos para as retalhistas.

Escreve a analista que o crescimento foi alavancado pelo lançamento de novos wearables nos meses que antecederam a época festiva, tal como pela criação de packs que conjugavam smartphones e wearables. Em comparação com o ano anterior, 2018 foi um ano muito positivo para o segmento, que registou uma subida de 27,5% nas vendas, com mais de 172 milhões de aparelhos comercializados.

No que toca a quotas de mercado, a Apple continua a dominar. No terceiro trimestre de 2018, a empresa despachou 16,2 milhões de wearables, sendo que 10,4 milhões eram relógios inteligentes. O restante consiste em AirPods e auriculares da marca Beats, que pertence à gigante tecnológica.

Logo a seguir à Apple ficou a Xiaomi. A marca chinesa vendeu cerca de 7,5 milhões de equipamentos "vestíveis" durante os últimos três meses do ano, o que lhe valeu uma quota de mercado de 12,6%. Em comparação com o período homólogo, a percentagem representa um crescimento de 1%.

tek idc

A fechar o pódio surge a Huawei, que beneficiou com o maior crescimento das cinco primeiras empresas do segmento. No quarto trimestre de 2018, a empresa vendeu 5,7 milhões de wearables, mais 248,5% do que nos meses de outubro, novembro e dezembro de 2017. A IDC sublinha que o crescimento foi possível graças à estratégia de retalho da marca, que apostou em combinar smartphones e wearables em packs para o consumidor final.

Segundo as contas da IDC, o segmento ganhou nova vida com a massificação dos aparelhos de ouvido. A categoria integra auriculares wireless com funcionalidades inteligentes, como os AirPods da Apple e os Pixel Buds da Google. Este grupo de equipamentos foi responsável por 21,9% das vendas registadas no mercado, mas foi o que mais cresceu em relação a 2017 (66,4%). Contudo, os smartwatches são, de grosso modo, os aparelhos que continuam a reunir as preferências dos consumidores, ao perfazerem 34,3% das vendas totais neste mercado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.