Cristina Rodrigues assumiu a gestão da subsidiária da Capgemini Portugal em julho, como administradora-delegada, sendo a primeira mulher a liderar esta unidade de mercado da consultora presente no nosso país há cerca de duas décadas. A nomeação veio no seguimento da reestruturação do grupo a nível mundial, que passou a estar definida por regiões.

Portugal passou a integrar um cluster de países de menor dimensão, deixando de estar sob a "alçada" ibérica. “O desafio é continuar o que estávamos a fazer nos ‘eixos’ importantes, mas de maneira diferente: com pessoas novas e uma nova forma de pensar, mudando a ‘cultura’”, referiu a responsável num encontro com jornalistas em Lisboa, esta terça-feira.

Já o principal objetivo é o mesmo: “aumentar os negócios da empresa da melhor maneira possível”. Ou mais especificamente, aumentar “radicalmente” o negócio. Cristina Rodrigues referiu ter assumido o compromisso de duplicar o volume de negócios da Capgemini Portugual até 2022, mesmo sabendo que o desafio é considerado "brutal".

A subsidiária portuguesa conseguiu resultados de 30 milhões de euros em 2018, com 9% de margem operacional. O objetivo é ir crescendo sustentadamente nos próximos anos para em 2022 gerar o dobro dos valores. “Crescemos 50% no primeiro semestre em termos de vendas ao mercado, face a 2017”, algo que só foi possível “graças à equipa fantástica que me rodeia”, sublinhou, “porque não conseguimos fazer nada sozinhos”.

O sector financeiro, juntando banca e seguros, é responsável por 50% do negócio. Energy & Utilities evolui bastante este ano e a expectativa é que continue a aumentar em 2019. Também há previsões otimistas para os sectores de Manufatoring e Retail & Distribution.

Nos serviços prestados, as estimativas de crescimento fazem-se para a cloud e infraestrutura, em redor de temas como a cibersegurança, e para o desenvolvimento de software, por exemplo na área da automação. Mas o principal destaque continuam a ser os serviços de Digital Customer Experience. “É a área onde somos mesmo bons”, sublinhou Cristina Rodrigues.

Segundo a responsável, a Capgemini Portugal tem o melhor centro de excelência do grupo. “As nossas equipas não fazem só projeto: vão ajudar a construir soluções e propostas aos clientes. Fazem pré venda, venda e depois execução”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.