A Comissão Europeia pediu hoje à Ryanair que respeite as reservas efectuadas online pelos clientes e solicitou à transportadora que respeite políticas de transparência na venda de bilhetes.



Bruxelas considera "deplorável" que a companhia aérea não autorize a utilização de bilhetes já comprados em agências virtuais autorizadas e anunciou que já está em contacto com as autoridades competentes nacionais para que estas analisem a decisão da Ryanair.



O porta-voz da CE, Ton Van Lierop, admite que até à data a empresa não rejeitou qualquer embarque de passageiros que tenham comprado o bilhete online mas confirma que a companhia low cost irlandesa está a ser alvo de investigação. As operações, segundo Alessia Viviani, directora de vendas da Ryanair, estão a ser conduzidas para apurar qual a melhor forma de cancelamento dos títulos adquiridos online, escreve o diário El Mundo.



O executivo comunitário recorda que apesar da companhia "ter liberdade para organizar a sua política de reservas como queira", isso não lhe permite tomar decisões pouco transparentes e sem avisar de forma eficaz os clientes.



Isto porque, segundo Bruxelas, a Ryanair apenas informou os consumidores do cancelamento das passagens aéreas através do seu site em inglês. A decisão da empresa foi tornada pública recentemente, com a Ryanair a informar que iria cancelar as reservas de voos a passageiros que tivessem comprado os bilhetes em sites de terceiros, como os operadores que efectuam comparações de preços online, como é o caso do Terminal A, Edreams e outros.



Notícias Relacionadas:

2007-11-14 - 11 sites nacionais de venda de bilhetes de avião com publicidade enganosa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.