O empreendedor John Mcafee, criador do antivírus Mcafee que mais tarde seria comprado pela Intel, vai concorrer às presidenciais norte-americanas em 2016. A confirmação foi dada pelo próprio à CNN, ainda que um outro artigo publicado pela Wired dá conta de que a decisão não está totalmente tomada.

Isto porque Mcafee ainda não sabe se avança ele próprio ou se decide ser a cara de apoio de um outro candidato. Mas o milionário norte-americano diz que recebe milhares de emails a pedir que avance para as presidenciais.

Mas o facto é que os papéis oficiais de candidatura já terão dado entrada na Comissão Federal de Eleições e foram validados pela entidade, escreve o The Hill. Também já está online uma página oficial de candidatura, na qual é possível ver o empreendedor norte-americano “misturado” com a bandeira dos EUA.

A candidatura vai ser feita através do Cyber Party, um partido que John Mcafee decidiu fundar e que tem ideais fortes em torno da tecnologia, um indústria crucial para a economia norte-americana.

“É óbvio que a liderança do nosso país é ileterada na tecnologia fundamental que suporta todos os aspetos da nossa vida, que é a ciber-ciência, os nossos smartphones, o nosso equipamento militar e as nossas comunicações”, disse à Wired.

Apesar dos planos e intenções que possa ter para os EUA, John Mcafee não é uma figura consensual, muito por causa dos comportamentos excêntricos. Este vídeo é um bom exemplo disso:

O fundador da Mcafee saiu do Belize em 2013 por ser suspeito de um homicídio e como relata a Wired, numa outra entrevista à revista, o milionário norte-americano jogou à roleta russa em frente ao repórter.

Caso decida avançar, o sucessor de Barack Obama arrisca a ser um homem polémico: pois além de Mcafee, também o candidato Donald Trump tem sido notícia em todo o mundo pelas declarações corrosivas relativamente a temas como a emigração.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.