De acordo com um dos últimos relatórios publicado esta semana pela analista Piper Jaffray, as receitas geradas com a venda de videojogos vão ser (quase) exclusivamente digitais já em 2022. A empresa acredita que a tendência que se regista no mercado vai continuar, com os jogadores a abandonarem (quase) por completo a compra de jogos de vídeo físicos num espaço de quatro anos.

O estudo, elaborado por Michael J. Olson e Yung Kim, indica que a receita digital vai estar muito próxima dos 100%, com a quota pertencente às vendas a retalho a ser muito residual. A estimativa tem por base a consistente queda de 10% ao ano a que se tem assistido neste último segmento.

"Acreditamos que seja uma certeza a estimativa de que os videojogos estarão mesmo muito perto de serem 100% digitais nos próximos anos, e embora seja difícil indicar uma data exata, somos da opinião de que 2022 é uma expectativa realista", escrevem os analistas. Olson e Kim sublinham ainda que com a concretização deste cenário, as margens de lucro para as editoras serão "drasticamente" maiores.

O relatório sugere também que esta transição do físico para o digital vai ser alavancada pela gradual popularidade dos serviços de streaming, que deverão começar a receber maior investimento por parte dos estúdios deste sector. A estimativa é que num espaço de dois a três anos, esta tecnologia seja uma realidade comercial estabelecida, que a próxima geração de consolas pode ajudar a consolidar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.