A DoubleClick e os advogados dos queixosos de uma acção judicial colectiva federal e estatal instauradas contra a empresa de publicidade online anunciaram recentemente que alcançaram um acordo para a resolução dos processos.



Apesar de a companhia afirmar num comunicado oficial que se compromete, mediante esse acordo, a cumprir uma série de padrões industriais de protecção da privacidade dos consumidores na Internet - como uma maior divulgação dos fins intencionados para a informação recolhida e a promessa de eliminar dados antigos relativos aos consumidores -, alguns grupos activistas comentaram que o acordo não é suficiente.



Outros compromissos assumidos neste acordo - com a duração prevista de dois anos - pela DoubleClick consistem na divulgação de 300 milhões de anúncios em forma de banners contendo informação sobre privacidade online com vista à educação do consumidor. A companhia compromete-se ainda a destruir os cookies - ficheiros que residem nos discos rígidos dos computadores dos utilizadores contendo dados relativos ao seu comportamento online - apenas após cinco anos da sua emissão.



A empresa irá ainda pagar taxas legais e custo de processo no valor de 1,8 milhões de dólares (2,06 milhões de euros) às 31 firmas de advogados representando os queixosos. No terceiro trimestre do ano passado, a DoubleClick anunciou que tinha tido em conta esta despesa nos seus gastos operacionais.



O acordo irá resultar na dissolução dos processos federais e estatais colectivos que foram instaurados à companhia a partir de Janeiro de 2000. Está prevista a realização de uma audiência no dia 21 de Maio para a aprovação final do acordo.



Em 1999, a empresa de tecnologia e serviços de publicidade na Web adquiriu a firma de marketing directo Abacus Direct, tendo nessa altura revelado que tencionava cruzar a base de dados de nomes e moradas da Abacus com a sua própria base de dados de hábitos dos cibernautas. Esse anúncio foi alvo de vários protestos por parte de organizações de defesa dos consumidores e da privacidade.



No ano passado, a Federal Trade Commission abandonou as suas investigações relativas à prática de recolha de dados da DoubleClick, ao concluir que esta empresas não tinha cruzado os nomes e moradas dos consumidores com a sua informação relativa à navegação anónima na Web. Em Março de 2001, a juíza federal Naomi Rice Buchwald indeferiu três processos legais relativas a casos de privacidade contra a DoubleClick.


Notícias Relacionadas:

2001-11-15 - DoubleClick negoceia venda de unidade europeia

2001-06-01 - DoubleClick anuncia compra da MessageMedia

2000-12-06 - DoubleClick reduz número de trabalhadores

2000-07-20 - Yahoo didáctico com política de privacidade

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.