Até ao próximo dia 20, mais de 6.400 empresas irão mostrar, em mais uma edição da CeBIT que começa hoje, as principais tendências para diferentes áreas do mercado das tecnologias da informação e da comunicação. Apesar de continuar a ser um evento incontornável no sector das Tecnologias da Informação e Comunicação, também a CeBIT demonstra este ano o desgaste causado pela arrastada crise deste mercado, para além do medo adicional por eventuais falhas de segurança.



Mesmo no sector das telecomunicações móveis, que nos últimos anos concentraram mais intensamente a dose de novidades, as apresentações são mais moderadas e discretas, passando-se o mesmo na área de soluções de software e hardware.



Apesar do número de expositores ser inferior ao do ano passado em pouco mais de uma centena, os 6.400 registados este ano ficam muito aquém dos mais de 8 mil presentes em 2001, antes do rebentamento da "bolha da Internet" e da quebra do mercado que se lhe seguiu.



O discurso de abertura da feira, ontem à tarde, foi protagonizado pelo presidente da Sony, Kunitake Ando, que salientou a importância da convergência dos computadores, telecomunicações e Internet. O presidente da Sony foi o primeiro executivo de uma empresa de electrónica e entretimento a abrir a Cebit, o que demonstra o crescente peso deste sector na feira.


Para este ano, os temas propostos a destaque são a inteligência artificial, os processos negociais as soluções digitais, segurança informática, banca electrónica e eGovernment, mas o enfoque está na tecnologia wireless, com grande parte dos fabricantes a mostrarem os seus trunfos nesta área. A feira promete igualmente dar atenção às redes de comunicação de terceira geração, assim como à crescente convergência entre as TIs, as telecomunicações e a electrónica de consumo.



O país organizador contribui com o maior número de expositores presente, seguido da Formosa (709), dos Estados Unidos (222), do Reino Unido (198), da China (189), da Coreia (167) e de Hong Kong (140), segundo dados oficiais. A Europa Central e Ocidental estão representadas por 280 empresas, de 17 países diferentes, sendo Portugal um dos países que participa com menor número de expositores, apenas 3.



Os 350 mil metros quadrados de espaço de exposição estão cobertos por tecnologia Wireless LAN, assim como o centro de informação, o centro de convenções e o centro de imprensa, informam os organizadores da feira alemã. Com mais de 200 pontos de acesso instalados, os visitantes da CeBIT podem assim usar os seus dispositivos Wi-Fi para se ligar à Internet.



Pela primeira vez, estará disponível um guia por SMS, que permite aos visitantes encontrar geograficamente determinada empresa no espaço da feira, através do seu telemóvel. Para tal, é necessário enviar uma mensagem SMS com o nome do expositor para um número disponibilizado, ao que o sistema responde com as coordenadas específicas da localização.



Notícias Relacionadas:

2003-03-12 - CeBIT 2003 a remar contra a maré do desânimo

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.