Em setembro do ano passado, a NVidia anunciou a compra da ARM, a empresa britânica especialista no design de semicondutores, por um valor de 40 mil milhões de dólares. Na altura, era esperado que o negócio estivesse concluído num período de 18 meses, porém, agora, a gigante tecnológica admite que o processo pode ser mais demorado.

Em declarações ao Financial Times, Jensen Huang, CEO da NVidia, explica que as negociações com entidades reguladoras “estão a demorar mais do que o inicialmente esperado”. “Não é só com um regulador em particular”, admite o responsável, acrescentando que, a empresa continua confiante em relação ao negócio e que espera que os reguladores sejam capazes “de reconhecer os benefícios da aquisição”.

Ao que tudo indica, a NVidia só submeteu um pedido formal junto dos reguladores antitrust chineses em junho, cerca de oito meses depois de anunciar o negócio de compra da ARM e, de acordo com fontes locais, uma investigação à aquisição poderá demorar uns 18 meses adicionais.

No Reino Unido a NVidia tem vindo a enfrentar um extenso escrutínio antitrust, assim como um sério questionamento acerca de questões de segurança nacional. Já nos Estados Unidos a Federal Trade Commission (FTC) abriu uma investigação à aquisição depois da Google, Microsoft e Qualcomm se queixarem de que o negócio limitaria a concorrência.

NVidia oficializa aquisição da ARM por 40 mil milhões de dólares
NVidia oficializa aquisição da ARM por 40 mil milhões de dólares
Ver artigo

Até agora a NVidia tinha vindo a insistir que o negócio estaria concluído, no máximo, até março deste ano. Por outro lado, a SoftBank, que detém a ARM desde 2016, deu à empresa um prazo até ao final de 2022 para completar o processo. Apesar das barreiras que a empresa necessita de ultrapassar, Jensen Huang mantém a esperança e afirma que será possível chegar ao fim da “saga” regulatória antes do período estabelecido pela SoftBank.

Recorde-se que para a NVidia, o negócio apresenta-se como um passo importante na sua aposta em Inteligência Artificial. A empresa pretende aliar a sua tecnologia de computação de IA ao ecossistema de CPUs da ARM, reforçando o desenvolvimento de computação na Cloud, smartphones, computadores, veículos autónomos e robótica, assim como IoT.

Para fechar o negócio, a NVidia vai pagar à SoftBank um total de 21,5 mil milhões de dólares em ações, e mais 12 mil milhões de dólares, incluindo 2 mil milhões pagos de entrada na assinatura do acordo. A SoftBank irá manter 10% das ações da ARM e a NVidia tem ainda planos para distribuir 1,5 mil milhões de dólares de capitais próprios aos trabalhadores da empresa de semicondutores como parte do negócio.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.