Através de comunicado oficial, a NVidia anunciou a compra da ARM, a empresa britânica especialista no design de semicondutores, por um valor de 40 mil milhões de dólares. O negócio, que foi apoiado pela SoftBank (detentora da ARM desde 2016), é descrito como importante para os planos da fabricante de processadores gráficos em aprofundar a sua aposta na IA. “A Inteligência artificial é a mais importante força tecnológica do nosso tempo e responsável por lançar uma nova onda de computação”, destaca Jensen Huang, fundador e CEO da NVidia.

O líder da tecnológica refere ainda que nos próximos anos, biliões de computadores a correr inteligência artificial vão ser a base de criação da Internet das Coisas, que é milhares de vezes maior que a internet, tal como a conhecemos atualmente, ou nas suas palavras, a “Internet das pessoas”. Justifica-se assim a aquisição da ARM, que coloca a NVidia numa excelente posição da Era da IA, refere o líder da empresa.

A NVidia pretende aliar a sua tecnologia de computação de IA ao ecossistema de CPUs da ARM, reforçando o desenvolvimento de computação em cloud, smartphones, computadores, veículos autónomos e robótica, assim como IoT.

De salientar que a aquisição da empresa de semicondutores não significa o fecho das suas operações a terceiros. Os designs da ARM continuam a ser licenciados, de forma neutra, aos seus clientes, ainda que suportados agora pela oferta dos GPU e IA da NVidia.

A ARM vai continuar a operar a partir das suas instalações em Cambridge, mas a NVidia já revelou planos de expansão para construir um centro de investigação de inteligência artificial. A empresa tem como objetivo suportar os avanços em saúde, ciência, robótica, veículos autónomos e outras áreas. A NVidia pretende ainda construir um novo supercomputador estado de arte, suportado pelos CPUs da ARM, para atrair cientistas e investigadores de todo o mundo.

Ainda relativamente ao negócio, que deverá estar concluído dentro de 18 meses, a NVidia refere que pretende manter o nome e o branding da ARM, e todas as suas propriedades intelectuais vão manter-se registadas no Reino Unido. Para fechar o negócio, a NVidia vai pagar à SoftBank um total de 21,5 mil milhões de dólares em ações, e mais 12 mil milhões de dólares em dinheiro, incluindo 2 mil milhões pagos de entrada na assinatura do acordo. A SoftBank irá manter 10% das ações da ARM e a NVidia tem ainda planos para distribuir 1,5 mil milhões de dólares de capitais próprios aos trabalhadores da empresa de semicondutores, como parte do negócio.

Recentemente, durante a IFA, a NVidia apresentou a sua próxima geração de placas gráficas RTX, com o seu modelo topo de gama, a RTX 3090 capaz de suportar resoluções gráficas de 8K.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.