A Altice Arena está "apinhada" para assistir à sessão de abertura do Web Summit 2019, e à apresentação, em transmissão de vídeo, de Edward Snowden, presidente da Freedom of the Press Foundation, e um dos mais famosos whistleblower da atualidade que denunciou o acesso a dados dos cidadãos pela NSA.

"Holly Cow, como está toda a gente"? Foi com estas palavras que Paddy Cosgrave abriu a conferência, depois de ter sido acolhido em palco com uma ovação digna de uma estrela de rock. E como em anos anteriores, pediu a todos que se levantassem e se apresentassem a duas pessoas sentadas a seu lado, porque o Web Summit é para fazer ligações.

O tempo das startups

Os participantes começaram a chegar cedo e às 15 horas a sala de imprensa já estava cheia, com muitos jornalistas de várias partes do mundo a prepararem-se para as entrevistas e cobertura das principais conferências e das startups, mas verdadeiramente cheia está a Altice Arena. Já não há lugares na plateia e as bancadas foram rigorosamente preenchidas, de forma organizada, tentando não deixar nenhum espaço vazio. E ainda há muita gente lá fora.

Oradores e startups mais aguardados pelos participantes do Web Summit segundo a organização
Oradores e startups mais aguardados pelos participantes do Web Summit segundo a organização
Ver artigo

Entre as startups escolhidas para fazerem os primeiros pitch do Web Summit 2019 estão várias portuguesas, mas a presença é diversa, as ideias são muitas e há também diversidade na preparação, com alguns dos responsáveis pelas startups a demonstrarem um nervosismo aceitável e a pressão de um auditório de 20 mil pessoas, com muitos investidores pelo meio.

Há aplicações para todos os gostos. “Concorrem” ao conjunto de startups que toda a gente vai falar em 2020 e, principalmente, à iniciativa que o Web Summit organiza todos os anos para as ideias de negócio ainda muito o início, mas que têm muitas coisas para vingarem.

Nem só de conferências se faz o Web Summit. Participantes podem aproveitar o melhor de Lisboa
Nem só de conferências se faz o Web Summit. Participantes podem aproveitar o melhor de Lisboa
Ver artigo

Com tempo limite para convencerem investidores e restante público – umas mais cumpridoras que outras – no conjunto de 22 startups há alguns exemplos made in Portugal, como é o caso da Stratio, uma solução de machine learning, ou da Tonic App, uma aplicação para médicos, e também da Fyde, Barkyn ou Tonic App.

As ideias apresentadas são diversas e servem múltiplos propósitos, desde aplicações para exercício físico, como a Eastnine, à recolocação de colaboradores a nível internacional, como a Localyze, ou uma comunidade que pretende revolucionar a forma como as mulheres experienciam o seu ciclo menstrual, a OHNE.

O que fazemos quando as instituições mais poderosas para a sociedade são as menos fiáveis para a sociedade?

A história de Edward Snowden é uma das mais famosas de denunciadores dos últimos anos. Depois de ter trazido a público as práticas de vigilância do governo norte americano teve de se exilar e foi através de videoconferência que participou na abertura da Web Summit, numa entrevista em que respondeu a várias questões sobre a forma como vê a privacidade, o que o levou a tomar a atitude de denunciar a NSA e o que deve ser feito para evitar violações da privacidade.

"As ferramentas criadas para proteger os cidadãos estão a ser usadas para os atacar"
"As ferramentas criadas para proteger os cidadãos estão a ser usadas para os atacar"
Ver artigo

As ferramentas que foram desenhadas para proteger os cidadãos foram muitas vezes usadas para os atacar, acusa Snowden, que defende também que o Facebook e a Google têm modelos de negócio abusivos. "Legalizámos o abuso das pessoas, demos lugar a um sistema que deixa a população vulnerável para o benefício dos privilegiados".

Portugal está na moda e a Cloudflare e a DefinedCrowd provam isso mesmo

Portugal continua a atrair empresas tecnológicas e Daniela Braga, fundadora e CEO da portuguesa DefinedCrowd, e Michelle Zatlyn, co-fundadora e COO da Cloudflare explicam porque decidiram localizar centros de competências no nosso país e a sua aposta na diversidade.

As executivas foram unânimes nas suas opiniões: "há boas universidades, há muito talento e o Governo tem apostado em políticas de atração de empresas", referiu Michelle Zatlyn. Para além de "em primeiro lugar" ser portuguesa, Daniela Braga, também apontou o "talento tecnológico e o ecossistema excecional".

As responsáveis da Cloudfare e da DefinedCrowd estiveram na sessão de abertura do Web Summit como exemplos de startups (muito) bem-sucedidas, que operam a partir de Portugal, mas também como empresas com mulheres em cargos de liderança. Na DefinedCrowd 42% da equipa são mulheres, "e não estamos a fazê-lo de propósito. Está a acontecer".

Como conselho às muitas startups que estão no Web Summit à procura de quem financie as suas ideias de negócio, Daniela Braga deixou um conselho: "sejam vocês a escolher os vossos investidores, não deixem que seja o contrário".

5G e a oportunidade de ouro

Guo Ping centrou a sua apresentação na tecnologia 5G e no ecossistema de aplicações que a empresa chinesa está a criar. O CEO rotativo da Huawei defende que esta é uma era de ouro, e que tem de ser aproveitada porque vai trazer grandes mudanças à economia e à sociedade.

"O 5G está a chegar mais depressa do que era esperado", afirmou Guo Ping, partilhando os números da Huawei e o lançamento do serviço em mais de 20 países e 40 operadores.

As velocidades de 10 Gbps, a latência de 1 ms e a capacidade de suportar ferramentas de AR/VR são algumas das vantagens do 5G, mas o executivo da Huawei lembra que o desenvolvimento dos serviços tem de ser conjunto, e por isso é tão relevante o crescimento de um ecossistema Huawei Mobile Services (HMS) que a empresa está a apoiar.

No Web Summit, a Huawei convida os developers a inscreverem-se no Programa Shining-Star que conta com uma bolsa de mil milhões de dólares que pode ser utilizados no decorrer do ciclo de vida das suas aplicações e soluções móveis.

A crise da água é uma realidade, mas pode haver solução

A edição deste ano do Web Summit coloca grande enfase nas causas ambientais, e o tema teve espaço logo na sessão de abertura. A representá-lo estiveram o jovem ativista Jaden Smith, igualmente músico e ator, que criou a empresa JUST Water, Paul O’Callaghan, da Blue Tech Research e Gary White, CEO do Water.org & WaterEquity.

Os três protagonistas do documentário Brave Blue World alertaram para a iminência de uma crise da água, mas apontaram “saídas”. “A minha maior motivação é levar esta mensagem a uma audiência maior. Por isso estamos aqui no Web Summit”, referiu Paul O’Callaghan. “Esta crise crescente da água está mais próximo do que pensamos, mas a boa notícia é que temos soluções e nós fazemos parte da solução”.

Já para Gary White, não basta apenas estarmos conscientes do que se passa, o importante é pensar em como podemos agir. “É por isso que temos de inovar e é isso que eu, o Paul e o Jaden estamos a fazer”, acrescentou.

Jaden Smith confirmou em palco ter percebido a importância da água desde muito novo. “Comecei a olhar para as questões ambientais aos 11 anos. Impactou-me desde novo e queria mesmo fazer a diferença”.

Foi dessa preocupação que nasceu a JUST Water, uma empresa criada em 2015, que comercializa água numa embalagem feita com 82% de recursos renováveis e cujo processo de produção implica menos 72% de emissões comparativamente à concorrência, garantiu o filho de Will Smith.

500 anos de globalização e uma Lisboa acolhedora para as startups

Em representação do Governo português, Pedro Siza Vieira fez o acolhimento institucional de todos os participantes do Web Summit, lembrando que Portugal foi pioneiro na globalização e que agora acolhe com entusiasmo a inovação e a tecnologia.

"Há 10 anos, em 2009, em Dublin, a dimensão era muito diferente", recordou o ministro da Economia e da Transição Digital, afirmando que o ritmo de mudança é o espelho da sociedade digital. "Daqui a 10 anos será ainda mais rápido", justifica, adiantando que têm de ser reforçadas as conversas entre as empresas e os governos para aprofundar a inovação.

A ideia foi secundada por Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, que garante que a cidade está aberta e sedenta de inovação. Enquanto falava, as startups foram subindo ao palco para o já tradicional cumprimento a partir do palco. E a contagem decrescente, para a abertura oficial da cimeira tecnológica que até dia 7 de novembro vai atrair meio mundo a Lisboa.

O Web Summit visto pelo SAPO TEK

O SAPO TEK está a acompanhar todas as novidades do Web Summit e para além das notícias de antecipação, nos próximos dias vai trazer os temas e as tendências mais relevantes. Encontramo-nos pelo Web Summit ou Night Summit?

Veja ainda a galeria de imagens que vamos recolhendo no nosso Diário do Web Summit.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.