O Facebook protagonizou uma jogada estratégica inesperada. O negócio com o WhatsApp, avaliado em 19 mil milhões de dólares, já foi aprovado nos EUA e nada fazia prever que a União Europeia se colocasse contra a aquisição.



De acordo com o The Wall Street Journal, alguns operadores europeus de telecomunicações estão preocupados com o negócio – porque o WhatsApp já troca cerca de 50 mil milhões de mensagens por dia. E com as pressões certas, os países de forma individual podiam iniciar uma investigação ao negócio do Facebook.



A pensar nisso, Mark Zuckerberg terá optado por ser diretamente investigado pela União Europeia, evitando casos mais pequenos. Desta forma, a decisão será válida para todos os 28 Estados-membro. E de acordo com um especialista ouvido pelo jornal, o organismo europeu tomará sempre uma atitude mais neutra do que aquela que podia vir de alguns países.



A Comissão Europeia já terá informado as respetivas autoridades da concorrência de cada país sobre o pedido do Facebook. As entidades nacionais terão depois 15 dias para se opor ao facto de ser a União Europeia a avaliar o caso, caso contrário, terão depois que se sujeitar ao escrutínio da organização internacional.



Escreve o WSJ que as autoridades regulatórias de Espanha, Reino Unido e Chipre estariam entre as que possivelmente iriam levantar objeções ao negócio. Nenhuma das entidades comentou a notícia.



A aprovação do negócio já foi concluída nos EUA, mas mediante algumas condições, como o facto de o Facebook e o WhatsApp terem que avisar e obter consentimento dos utilizadores caso haja partilha de informações entre os serviços que não esteja previsto nos termos de utilização atuais.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.