A IFA Special Edition foi a primeira grande conferência a avançar com um modelo presencial, depois de muitos cancelamentos e adiamentos a que assistimos nos últimos meses de exposições e feiras, onde o MWC2020 foi a primeira grande vítima. Num formato limitado, em termos de espaço e visitantes, e restrito a 3 dias, o número de expositores e visitantes está muito longe do que assistimos nos últimos anos com com 1.939 expositores e marcas presentes em 2019 que ocupam 163.900 metros quadrados de espaço útil de feira.

O SAPO TEK foi o único meio português presente em Berlim e nos últimos dias comprovou como todas as condições de segurança e higiene foram cumpridas, com espaços entre as cadeiras das salas de conferências, uso de máscaras e disponibilização de desinfetantes, desinfeção de todos os espaços após cada apresentação e o distanciamento social exigido na maioria dos espaços.

Mas isso não fez com que as máscaras fossem menos inovadoras na apresentação dos produtos e na forma como mostraram as suas propostas, com a LG a usar hologramas para a sua conferência e a criar uma exposição virtual que vai durar um mês, e algumas empresas de menor dimensão a aproveitarem a oportunidade para ganhar mais “espaço” mediático, como a realme ou a Honor, amplificando a sua presença nos meios de comunicação tecnológicos.

Estranho mas bem sucedido

Jens Heithecker não teve problemas em considerar a IFA Special Edition um “evento estranho”, sobretudo quando comparado com o movimento e dimensão que as últimas IFA registavam, com um crescimento que nos últimos anos obrigou a organização a reinventar-se, com a construção do City Cube e a deslocalização da IFA Global Markets. Mas mesmo assim Kai Hillebrandt, Chairman do comité de supervisão da gfu, que gere a Messe Berlin, classificou esta edição como “desafiante e bem sucedida”, dizendo que “mostrou a outras feiras como na pandemia ainda se pode organizar uma exposição”.

A plataforma da IFA Inovation, e o modelo de transmissão e exposição online com a IFA Xtended Space, são uma aposta para continuar e Jens Heithecker diz que este modelo trouxe novos públicos, profissionais e consumidores, de várias localizações no mundo à feira, o que de outra forma não seria possível.

O balanço de números de presenças conta com 150 expositores físicos entre a IFA Global Press Conference, a IFA Business Lounges e a SHIFT Mobility meets IFA NEXT, mais de 6.100 pessoas presentes e 1.300 expositores online, onde a IFA recebeu mais de 78 mil registos de participantes, com 260 mil visualizações.

“A partir de segunda feira começamos a construir a IFA 2021 […] os especialistas estão confiantes de que no verão voltaremos a uma normalidade e esperamos a edição de 2020 em escala total”, afirmou Jens Heithecker. Mais de 60% do espaço já está reservado e o diretor executivo da IFA garante que “nunca tivemos tanto interesse tão cedo e tão antes do início do ano”. A data já está marcada para 3 a 7 de setembro de 2021.

“Isto mostra que a indústria precisa da IFA Berlim e da ligação ao mercado que só um evento ao vivo fornece”, sublinha Jens Heithecker.

“Be there or be square” foi a expressão usada, mas para atrair o público e as marcas a IFA tem mais uma novidade no próximo ano, com a parceria com a Berlin Photo Week, a feira de fotografia que atrai profissionais e entusiastas da fotografia e que vai passar a realizar-se em conjunto com a IFA 2021.

O SAPO TEK acompanhou ao vivo e online todas as novidades da IFA que pode seguir através das notícias que temos partilhar ao longo dos últimos dias. E ainda temos mais histórias para contar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.