À medida que “perde terreno” em relação a outras fabricantes devido a atrasos na produção, a Intel decidiu fazer uma reestruturação completa do departamento de Tecnologia, Arquitetura de Sistemas e Cliente (TSCG, na sigla em inglês). De saída está o Chief Engineering Officer Murthy Renduchintala, o especialista em processadores responsável pela vasta maioria do hardware da empresa desde 2015.

Em comunicado, Bob Swan, presidente da fabricante norte-americana, explica que o departamento será dividido em cinco novas seções, cada uma liderada por um executivo diferente.

O objetivo da mudança é acelerar o desenvolvimento de novas tecnologias, e concentrar as atenções na produção dos semicondutores de 7 nanómetros, um projeto que tem vindo a ser sucessivamente adiado.

A cargo de supervisionar a produção dos chips, cuja chegada está prevista para 2022, está Ann Kelleherm que se torna agora na responsável pela seção de Desenvolvimento de Tecnológico do TSCG.

A saída de Murthy Renduchintala marca um período particularmente atribulado para a Intel. Depois apresentar o relatório financeiro do segundo semestre de 2020, a empresa revelou que os seus planos para se manter na linha da frente da inovação falharam.

Durante a apresentação dos resultados financeiros, Bob Swan terá admitido que a Intel está a considerar a terceirização do processo de fabrico dos processadores, avançou a Bloomberg. A revelação causou uma quebra de 16% na cotação da empresa na bolsa de valores. Ao todo, estima-se que tenha perdido 40 mil milhões de dólares em capitalização bolsista.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.