Um estudo da IDC indica que o ecossistema da Microsoft, que engloba as pessoas que trabalham em empresas de TI e profissionais da TI que criam, vendem ou distribuem produtos executados em plataformas Microsoft têm um impacto significativo no contributo global das Tecnologias de Informação para o aumento do emprego e para o desenvolvimento económico dos países.



Pelas contas da empresa de estudos de mercado, a Microsoft é responsável pelo emprego de 14,7 milhões de pessoas em todo o mundo, o que perfaz "pelo menos 40 por cento das pessoas que trabalham na indústria das TI". Destes postos de trabalho, 42 por cento estão relacionados com software.



Em Portugal, a companhia norte-americana tem vindo a mostrar-se empenhada "de forma activa em contribuir para o crescimento da indústria local de software e tecnologia, criando oportunidades para novos negócios e novos empregos", refere o relatório. A prová-lo surgem as estimativas da companhia que pretende garantir 41 mil postos de trabalho até ao final deste ano, ou seja, 43 por cento do total de empregos na área das TI no nosso país.



Para os próximos quatro anos, a IDC prevê os empregos relacionados com a Microsoft venham a aumentar em cerca de 3 milhões, no âmbito dos 7,14 milhões de novos empregos que se prevê sejam criados no sector das TI.



Pelo que a IDC apurou, a empresa de Bill Gates "actua como catalisador da economia em todos os países em que opera". Em Portugal, os investimentos em TI atingirão os 2,8 mil milhões de euros, em 2007. Por sua vez, o sector deverá crescer em média 6,2 por cento todos os anos até 2011.



As perspectivas mundiais parecem ser positivas e estima-se que nos próximos quatro anos o ecossistema Microsoft continue a contribuir significativamente para o tecido tecnológico mundial, nomeadamente a nível de postos de trabalho.



O impacto do ecossistema da Microsoft na economia global é visível ainda a nível das receitas globais: em 2007 será atingida uma facturação de 1,3 mil milhões de euros, potenciados pelos investimentos de 204 milhões de euros em desenvolvimento e investigação, marketing, vendas e suporte, nas respectivas economias locais.



Outro ponto de destaque no relatório enviado à imprensa indica que as receitas fiscais, como o IVA, IRC, imposto sobre as vendas, rendimentos pessoais, entre outros, corresponderão a "360,6 milhões de euros em 2007".



Por fim, a IDC salienta que as receitas de empresas que colaboram com a Microsoft ultrapassam, em larga medida, as receitas obtidas pela casa mãe. No caso nacional, o estudo conclui que o ecossistema da Microsoft em Portugal gera 10,6 euros de riqueza por cada euro que obtém de receitas.



Notícias Relacionadas:

2007-10-10 - Investimentos em Tecnologias da Informação aumentam 8% em 2007

2007-01-17 - Mercado português de TIs vai crescer a um ritmo de 7,5% até 2010

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.