O convite, formalizado esta segunda-feira, em Nova Iorque, no âmbito da Assembleia Geral da Nações Unidas, está relacionado com o trabalho que o CEiiA tem vindo a desenvolver na área do mar e espaço, mas também pelo reconhecimento na área da mobilidade sustentável, nomeadamente na recolha de dados, assim como na quantificação em tempo real do CO2.

O contributo do Centro de Engenharia para a Sustainable Oceans Business Platform vai estar focado no desenvolvimento de novas tecnologias que permitam a recolha e tratamento de dados sobre oceanos, cruzando a dimensão do mar com a dimensão do espaço, com parceiros internacionais, refere-se numa nota enviada às redações.

“Este convite e poder fazer parte desta plataforma é um orgulho, não só para as nossas equipas, como para Portugal, pois é o reconhecimento da excelência do nosso trabalho e da nossa tecnologia”, refere Gualter Crisóstomo, diretor de sustentabilidade do CEiiA, no comunicado. “Por outro lado, é uma excelente oportunidade para podermos, de forma colaborativa, conceber e desenvolver tecnologias, produtos e serviços que podem ajudar a melhorar os oceanos, mas também para exportar tecnologia concebida e desenvolvida em Portugal”, considera.

No grupo de cerca de 50 entidades que compõem a plataforma, a representação maior é conseguida pela Noruega, Japão e França, embora todas elas relacionadas com o transporte marítimo, Oil & Gas e Fundos de investimento. No conjunto encontram-se também universidades, assim como organizações do universo da ONU, como o PNUD, a UNEP, entre outras.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.