Nove pessoas e duas empresas foram acusadas de vender tecnologia da Samsung a uma firma chinesa. Uma das pessoas envolvidas no esquema é o CEO da Toptec Co Ltd, que é uma das empresas fornecedoras da gigante sul-coreana. De acordo com os procuradores sul-coreanos, o grupo recebeu cerca de 13,8 milhões de dólares pela propriedade intelectual partilhada.

Segundo a Reuters, a tecnologia em questão estava relacionada com os displays OLED da marca para smartphones, que incluem uma curvatura lateral muito característica. A agência indica que as nove pessoas e as duas empresas criaram uma outra empresa fantasma, que conseguiu estabelecer um acordo com a Samsung que lhes permitia receber documentação técnica da Samsung Display. Desta forma, a empresa conseguia colocar-se na posse de informações privilegiadas, que eram depois vendidas por vários milhões de dólares.

A Toptec, que fabrica máquinas de produção de ecrãs para smartphones, já negou o seu envolvimento neste esquema.

A justiça sublinha que foram precisos seis anos, 38 engenheiros e 134 milhões de dólares para a Samsung conseguir desenvolver a tecnologia em questão, que é até considerada um ativo de importância nacional para a Coreia do Sul.

Em declarações prestadas à Bloomberg, um porta-voz da Samsung Display afirmou que o sentimento era de "choque" para com os resultados da investigação que resultou na identificação de nove pessoas suspeitas e duas empresas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.