Num encontro com analistas de mercado Rodrigo Costa não quis avançar uma previsão de data para a decisão do regulador, mas admite que "entre dois e seis meses, tudo pode acontecer".



O CEO da operadora escusou-se, no entanto, a fazer mais comentários sobre o assunto considerando que "de todas as pessoas, não devemos ser nós a dizer um prazo até à aprovação", cita o Jornal de Negócios.



Ricardo Costa defende, ainda assim, que a situação em Portugal - no que se refere ao sistema de prazos do regulador - é igual ao resto da União Europeia. O responsável refere-se ao facto de existir na lei um prazo definido para a análise do regulador, mas também uma cláusula que prevê a suspensão desse prazo de cada vez que há elementos novos no processo, ou questões colocadas pelos interessados (como sejam os outros operadores) às quais o regulador tem de dar resposta.



Recorde-se que a intenção de fusão dos acionistas de referência da Optimus e da Zon foi conhecida em dezembro do ano passado. Desde aí foram dados já quase todos os passos necessários para a concretização da operação.



As administrações das duas empresas aprovaram a operação e a Anacom e ERC também deram luz verde. Falta conhecer a decisão da Autoridade da Concorrência que, segundo a informação disponível, deverá conter um conjunto de medidas a condicionar a aprovação.



Nota de redação: Foi corrigido uma gralha na notícia.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.