O sucessor de Bill Gates no cargo de Chief Software Architect na Microsoft, Ray Ozzie, deixou o cargo cinco anos depois de o ocupar substituindo o fundador da empresa nas funções. O responsável chegou à Microsoft por via da compra pelo gigante do software da sua empresa Groove Networks.


Quando chegou à Microsoft Ray Ozzie já era respeitado e conhecido no meio pela ligação anterior a projectos relevantes, como o Lotus Symphony ou o Lotus Notes, ainda a Lotus não tinha sido adquirida pela IBM.


Com 54 anos, Ozzie deixa agora as funções que assumiu em 2005 embora, como adianta um email enviado por Steve Ballmer aos empregados, deva manter-se na empresa durante mais algum tempo, num processo de transição que não tem prazo para acabar nem culminará na contratação de um novo responsável para o cargo.


Até que a saída da empresa se concretize, Ozzie vai concentrar-se na área do entretenimento, onde a Microsoft também tem a decorrer vários investimentos.


Enquanto esteve na Microsoft Ozzie foi responsável por ideias como o Windows Azure. A colaboração na nuvem e a partilha de espaços virtuais para visualizar um mesmo vídeo ou editar documentos em simultâneo já tinham sido trabalhadas por si na Groove Networks e passaram para a gigante do software, como está hoje à vista nas linhas mais recentes de produto.


As razões que terão motivado a renúncia de Ozzie ao cargo não foram detalhadas pela Microsoft. Na imprensa internacional os analistas também ainda não conseguiram convergir numa opinião.


O responsável máximo pela estratégia de desenvolvimento de software da Microsoft pode ter deixado o cargo por iniciativa própria, cansado das funções e do ritmo a que a empresa se vê forçada a agir para responder a uma concorrência que está em todo o lado. Ou, pelo contrário, pode ter sido convidado a deixar o cargo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.