A Polícia Judiciária comunicou ontem ter desmantelado uma rede internacional que se dedicava à importação e comercialização de material informático sem declaração de IVA. De acordo com o comunicado, a rede operava em vários países da Europa, com incidência na Península Ibérica, e terá lesado o Estado em dezenas de milhões de euros.

Na operação estiveram envolvidos cerca de quarenta elementos da PJ e inspectores tributários da DGI, tendo sido detidos quatro cidadãos, dois de nacionalidade estrangeira (sul americanos) e dois portugueses, tendo ainda sido constituídos arguidos três outros cidadãos que se presume fazerem parte da rede. Os dois sul-americanos ficaram em prisão preventiva enquanto os cidadãos portugueses seraõ obrigados a apresentar-se periodicamente às autoridades.

O esquema montado por esta rede operava no comércio de material informático e usava o esquema designado por “carrossel” através do qual se utilizam várias empresas “fantasma” de grande volatilidade e que possibilitam a importação de material e venda sem o pagamento dos impostos devidos.

Em conferência de imprensa, José Mouraz Lopes, director nacional adjunto da Polícia Judiciária, afirmou que «Não se trata de uma pequena burla, mas de uma macro-fraude, que pode ter colocado em causa alguns pilares da economia portuguesa, já que são valores muito elevados», cita a Lusa.

Notícias Relacionadas:
2004-01-13 - Acesso ilegítimo a redes e sistemas informáticos lidera queixas de crimes informáticos

2002-05-24 - Duas empresas de informática na mira da Polícia Judiciária

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.