A IBM e a Intel anunciaram ontem os resultados económicos referentes ao terceiro trimestre, que apesar de apresentarem um decréscimo nos lucros das duas empresas foram bem recebidos pelos mercados bolsistas, animando as sessões de bolsa europeias esta manhã.



A Intel revelou ontem resultados económicos do terceiro trimestre de 2001, que apesar de apresentarem uma quebra acentuada, superaram as perspectivas dos analistas económicos. O fabricante americano de processadores registou no trimestre fiscal - que terminou a 29 de Setembro - um volume de vendas de 6,5 mil milhões de dólares (1,4 mil milhões de contos ou 7,1 mil milhões de euros), cerca de 25 por cento inferior ao registado em igual período de 2000.



Os lucros líquidos da empresa americana foram de 106 milhões de dólares (23,3 milhões de contos ou 116 milhões de euros), bastante abaixo do que se registou no mesmo trimestre do ano passado, quando a empresa apresentou 2,51 mil milhões de dólares de lucros. Contudo, a empresa realçou que se excluísse os custos com aquisições de outras empresas teria atingido um lucro de 655 milhões de dólares. Estes resultados foram considerados pelos mercados financeiros como positivos numa altura que o mercado deste sector e a economia mundial atravessam um ciclo menos positivo agravado com os atentados terroristas de 11 de Setembro.



Por sua vez a IBM apresentou uma quebra dos resultados trimestrais na ordem dos 19 por cento em relação ao ano passado. Segundo a empresa americana, no trimestre terminado em 30 de Setembro a empresa obteve um lucro de 1,6 mil milhões de dólares (352 milhões de contos ou 1,7 mil milhões de euros), o que resulta em dividendos por acção de 90 cêntimos, acima dos 89 cêntimos previstos pela maioria dos analistas financeiros.



As principais razões para esta quebra foram, segundo a IBM, a derrapagem da situação da economia mundial e a forte cotação do dólar que prejudicou as vendas fora dos Estados Unidos, que contribui para uma diminuição de três por cento das vendas. A empresa foi mais afectada nas vendas de produtos de microelectrónica e semicondutores, mas mesmo assim registou um volume de vendas no montante de 20,4 mil milhões de dólares (4,4 mil milhões de contos ou 22,4 mil milhões de euros), o que representou uma quebra de 6 por cento nas vendas do terceiro trimestre do ano anterior.



Estes resultados já impulsionaram hoje os mercados bolsistas na Europa, em especial os títulos das empresas do sector tecnológico, já que apesar de não poderem ser considerados óptimos, anularam o sentimento pessimista da generalidade dos investidores que estavam à espera de piores resultados dado o actual "clima" económico.



Outras empresas também publicaram os seus resultados apurados como a Unisys que apenas registou 20,9 milhões de dólares (4,6 milhões de contos ou 23 milhões de euros) de lucros, o que representa uma quebra de 50 por cento face ao terceiro trimestre do ano passado e anunciou o despedimento de oito por cento da sua força de trabalho.



A Yahoo! foi outra empresa que apresentou prejuízos na semana passada, mas também dentro das suas estimativas. Apesar de apresentar perdas pelo quarto trimestre consecutivo, a contabilidade da empresa do ramo Internet aponta sinais de retoma, prevendo uma subida de receitas para o quarto trimestre.



Os índice bolsista FTSE Europa subiu 7,2 por cento e o índice Dow Jones Europa subiu também 6,9 por cento após os anúncios de resultados trimestrais da IBM e Intel.



Notícias Relacionadas:

2001-09-07 - Intel aponta para recuperação de vendas de processadores

2001-07-18 - Intel apresenta uma redução de lucros de 76 por cento

2001-01-18 - Resultados financeiros positivos nas TIs

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.