Projecto e-U continua a crescer
Depois do arranque do ano escolar, a Iniciativa e-U Campus Virtuais continua a ganhar dimensão, tendo sido homologados até Novembro 21 das 57 candidaturas de instituições do ensino superior que concorreram ao Projecto. A iniciativa pretende facilitar a criação de uma infra-estrutura wireless nas Universidades e Institutos que permita a alunos e professores a ligação permanente à rede em situações de mobilidade, mas envolve ainda componentes de webização de conteúdos e serviços das escolas e simplificação do acesso à compra de computadores portáteis através de condições especiais e crédito.
2003-01-22 - Campus Virtuais facilitam acessibilidade às TIC no ensino superior
2003-02-14 - Projecto Campus Virtuais pretende incentivar acesso móvel à Net a nível nacional

2003-11-05 - Governo faz homologação de 21 candidaturas no Programa e-U

Novas regras para o comércio electrónico
Aprovada em conselho de Ministros no mês de Novembro, a legislação que transpõe para a ordem interna a directiva comunitária relativa ao comércio electrónico limita a responsabilidade dos ISPs a um dever geral de vigilância. Assim, estes fornecedores de serviços de acesso à Internet são desresponsabilizados da investigação de eventuais ilícitos praticados no seu âmbito.
A componente mais polémica da legislação situa-se porém na introdução de um esquema de resolução provisória de litígios, dado o carácter urgente que envolve os procedimentos online, e que confia a função de supervisão geral à Anacom, "sem prejuízo da solução definitiva do litígio, que só poderá ser judicial".

2003-11-07 - Decreto-lei para o comércio electrónico "desresponsabiliza" ISPs

Microsoft intensifica combate a cibercrime
Juntando-se aos Serviços Secretos norte-americanos, ao FBI e à Interpol, a Microsoft anunciou em Novembro a criação de um programa de combate à criação de vírus, o Anti-Virus Reward Program. A empresa pretende auxiliar as entidades competentes a identificar e condenar criadores de vírus, worms e outros códigos maliciosos que afectem a segurança na Internet, tendo dotado o programa de fundos no valor de 5 milhões de dólares.
Ao mesmo tempo a Microsoft ofereceu uma recompensa de 250 mil dólares a atribuir a quem fornecer informação que leve à captura dos responsáveis pela criação do worm MSBlast.A, somada a outros 250 milhões para os delatores do criador do vírus Sobig. A empresa de Bill Gates foi uma das principais visadas por estes dois vírus, o que afectou as suas operações e mesmo a credibilidade dos seus sistemas durante este ano.

2003-11-05 - Microsoft cria fundo para combater criação de vírus e worms e recompensa delatores

Voltar ao texto principal
2003 - O ano da espera

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.