Paulo Carvalho, diretor geral da SAP Portugal, partilhou os números e as metas com os jornalistas, aproveitando para assinalar também os vinte anos de presença da empresa no país. Inicialmente o negócio era feito a partir da subsidiária espanhola, mas a partir de 1999 a SAP estabeleceu-se diretamente em Portugal, gerindo uma carteira de clientes que começava a ser substancial.

"2012 foi um ano positivo para a SAP Portugal, com um crescimento de 5% face ao ano anterior e 57,2 milhões de euros de receitas", adiantou Paulo Carvalho aos jornalistas, afirmando que a equipa que lidera a subsidiária está de parabéns pelos resultados conseguidos, num cenário económico cada vez mais difícil.

Em 2012 o investimento mais relevante da SAP Portugal foi a criação de um centro de competências, que iniciou a operação em meados do ano e que ainda tem um peso marginal no negócio, mas que foi um forte contribuidor para o crescimento dos recursos humanos da empresa, mais do que duplicando o número de colaboradores.

"Este é um projeto de longo prazo, que se destina quase exclusivamente à exportação", afirma o diretor geral da empresa, afirmando que o centro conta já com vários clientes de referência, como a Jaguar, a Vodafone e a EDP.

O centro conta com 70 colaboradores, um número abaixo da meta definida aquando do lançamento para 2012, mas Paulo Carvalho admite que esse valor pode ser atingido ainda este ano.

Na base do crescimento do negócio registado no ano passado a SAP aponta a procura de soluções por parte de empresas que querem dar o salto, internacionalizando-se e competindo em cenários de multimercado, multimoeda e multigeografia. A expansão das novas áreas estratégicas da SAP, nomeadamente a mobilidade, bases de dados (com o SAP Hana) e cloud, contribui também para o crescimento, pesando já os dois primeiros segmentos cerca de 24% das receitas de software em Portugal, embora a cloud seja ainda uma área marginal.

No segmento indireto, o negócio realizado através de parceiros foi também destacado por Paulo Carvalho como relevante para o crescimento de 2012, atingindo um peso de 40% nas receitas de software e concretizando uma aposta da empresa.

Para 2013 as perspetivas são também positivas e Paulo Carvalho admite querer que este ano seja o melhor de sempre da SAP em Portugal, ultrapassando os 60,1 milhões de euros registados em 2008. As prioridades da empresa vão estar centradas na oferta SAP Hana, mobilidade e cloud, nomeadamente com o desenvolvimento do negócio da SuccessFactors e da Ariba, adquiridas recentemente pela empresa.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.