A informação foi avançada pelo presidente da empresa Joe Kaeser durante uma conferência em Nova Iorque. Citado pela imprensa internacional, o responsável explica que 65% dos funcionários a despedir sairão da empresa no âmbito de um processo de racionalização.



Os restantes deixaram a empresa em consequência do fecho de operações regionais da companhia. As operações regionais que serão afectadas pela medida ainda não são conhecidas.



A medida insere-se num plano de corte de custos, designado Vision 2020, que prevê uma redução nos custos da empresa da ordem dos mil milhões de euros. O mesmo plano prevê a redução do número de divisões da empresa de 16 para nove.



Em Portugal, a Siemens refere que está ainda a aguardar indicações da casa-mãe para perceber se a subsidiária será afetada pela medida, indicou um porta-voz da empresa ao Jornal de Negócios.


Nos últimos anos a marca alemã tem reforçado o investimento em Portugal. Em abril anunciou a abertura do seu 13º centro de serviços global no país, cobrindo áreas como a energia, infraestruturas, saúde ou serviços partilhados. À data a empresa revelou que na última década os seus centros de competências em Portugal geraram mais de 400 milhões de euros em receitas.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.