Conhecida pelas ferramentas de acesso remoto, que está instalada em mais de 2,5 milhões de equipamentos, a TeamViewer tinha entrado em Portugal em 2021 através da aquisição da Hapibot Studio e conta já com 30 engenheiros de software e design que estão focados no desenvolvimento de software na área da realidade aumentada. Hoje a tecnológica abriu um novo escritório e revelou ao SAPO TEK planos para crescer nesta área, com o objetivo de contratar mais 25 pessoas até ao final do ano.

Mike Eissele explica que a decisão de criar o centro de I&D em Portugal foi baseada numa análise de elementos relevantes para a empresa, com foco em fatores culturais e de crescimento, entre os quais a disponibilidade de talento, formação, quadro regulatório, empreendedorismo e qualidade de vida. “Comparámos diferentes países e em 2020 já tínhamos criado um centro semelhante na Grécia, que trabalha na nossa solução de formação online, a TeamViewer Classroom e na TeamViewer Engage. Como estávamos à procura de investir mais em I&D e acelerar a inovação com tecnologia de realidade aumentada, Portugal cumpria esses objetivos da melhor forma”, justifica o Chief Technology Officer da TeamViewer.

O alargamento das soluções da TeamViewer, que é mais conhecida pelo software de acesso remoto, que foi a base de desenvolvimento da tecnológica, é uma das metas da empresa, que hoje tem soluções de digitalização de processos em toda a cadeia de valor industrial, desde o desenvolvimento de produtos à logística de fabrico e garantia de qualidade. “O nosso objetivo é sermos percebidos como um parceiro para projetos de digitalização […] por isso estamos a investir massivamente nas nossas soluções de realidade aumentada”, detalha Mike Eissele.

“Através da aquisição da Hapibot conseguimos dar um impulso à nossa presença local com uma equipa de 20 engenheiros e designers de software muito qualificados, mas no geral Portugal é uma excelente localização, com tantas boas universidades e uma base de talento de engenharia de topo, muito motivados para desenvolver a próxima onda da digitalização”, explica o CTO da TeamViewer ao SAPO TEK.

A equipa do Porto trabalhou no desenvolvimento de uma parte significativa do novo add on AiStudio, que consiste num algoritmo de auto aprendizagem para treinar modelos de Inteligência Artificial que reconhecem imagens e objetos, e que é parte do pacote de realidade aumentada TeamViewer Frontline. Esta é uma área onde vai continuar focada, criando produtos para o mundo inteiro.

Segundo o CTO da empresa, o número de colaboradores a trabalhar na área de I&D aumentou cerca de 20% em 2021 e no final do ano a TeamViewer tinha uma equipa de 460 pessoas. A maioria trabalha na Alemanha, em Goeppingen, mas também em localizações baseadas nas universidades em Stuttgart, Karlsruhe e Bremen. As localizações de I&D estão na Arménia, Áustria, Grécia e Estados Unidos e em Portugal, no hub do Porto que já conta com 30 colaboradores e que deverá quase duplicar até ao final do ano com a contratação de mais 25 pessoas.

“Estamos muito satisfeitos com o progresso e crescimento da nossa equipa local no Porto. Desde o início que os nossos esforços em criar uma localização aqui receberam um excelente apoio do Governo português, especialmente através da AICEP”, sublinha Mike Eissele. Garante porém que não foi uma questão de benefícios fiscais que justificou o investimento mas a conjugação de uma série de fatores de desenvolvimento entre os quis se incluem a versatilidade técnica do talento, as competências com a língua inglesa e o elevado nível de educação, destacando ainda as “boas infraestruturas, cultura de trabalho, condições de vida e salários razoáveis”.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.