Em menos de cinco anos, os leitores de DVD estão prestes a chegar a um terço dos lares norte-americanos - um feito que levou o dobro do tempo a alcançar ao vídeo-gravador. A encomenda mensal daquele tipo de dispositivo ultrapassou a dos vídeos pela primeira vez em Setembro, tendo acontecido o mesmo no passado mês de Outubro, altura em que as lojas se abasteceram para as vendas de Natal, de acordo com dados da Consumer Electronics Association (CEA). Contudo, a comercialização de leitores de DVD não deverá ultrapassar a dos vídeos até 2004.



"É um fenómeno que comprova que a qualidade da imagem e do som afinal sempre contam", afirmou Jim Barry, porta-voz da CEA, que afirma que o DVD é o dispositivo de electrónica de consumo mais desejados neste Natal, apoiando-se num estudo efectuado pela mesma instituição.



A Associated Press noticia que a cadeia Blockbuster reduziu recentemente o stock de cassetes VHS em todas as suas lojas em 25 por cento de modo a deixar mais espaço livre para o aluguer de DVD, duplicando o número de filmes nesse formato de 2.000 para 4.000 em alguns dos seus pontos de "venda" norte-americanos. Os DVDs somam actualmente 20 por cento das receitas da Blockbuster e a empresa espera que os mesmos signifiquem 40 por cento no fim de 2002.



A comercialização anual de leitores de DVD em 2000 duplicou face ao ano anterior, atingindo os 8 milhões de unidades. De acordo com dados da CEA, até ao fim de 2001 deverão ser vendidas 12,5 milhões de unidades. Comparativamente, as encomendas de vídeo-gravadores atingiram os 23 milhões no ano passado e deverão baixar para cerca de 22 milhões de unidades em 2001. Esta queda nas vendas não quer dizer que os vídeo-gravadores desapareçam no curto prazo. "Os vídeos não vão desaparecer de um momento para o outro - os seus preços são muito baixos e maior parte de nós ainda tem inúmeras cassetes VHS com 'aqueles momentos' gravados", salientou Jim Barry citado pela Associated Press.



Enquanto o gravador de DVD não estiver ao alcance do consumidor médio, os analistas consideram que a maioria dos lares manter-se-à fiel ao vídeo para gravar os seus programas de televisão favoritos.



Actualmente, a indústria cinematográfica norte-americana está a lançar grande parte dos filmes para aluguer e compra nos dois formatos, DVD e VHS, afirma Greg Durken, analista na Alexander & Associates. As receitas relativas à compra de filmes em DVD deverão atingir os 4,2 mil milhões de dólares no fim de 2001(942,8 milhões de contos ou 4,7 mil milhões de euros), um aumento de 2,4 mil milhões de dólares face a 2000, defende Greg Durken. Já as receitas da aquisição de filmes em cassetes VHS deverá baixar dos 7,62 mil milhões verificados no ano passado (1,7 mil milhões de contos ou 8,5 mil milhões de euros), para os 6,93 mil milhões em 2001 (1,5 mil milhões de contos ou 7,7 mil milhões de euros.



As receitas do aluguer do mesmo tipo de cassetes VHS também deverão diminuir para 10,7 mil milhões de dólares em 2001 (2,4 mil milhões de contos ou 11,9 mil milhões de euros), uma queda de 9 milhões de dólares comparativamente ao ano anterior, enquanto as receitas do aluguer de filmes em DVD deverão situar-se próximo dos 2,14 mil milhões de dólares em 2001 (4,8 mil milhões de contos ou 23,9 mil milhões de euros), quando em 2000 se situaram nos 782 milhões de dólares (175,6 milhões de contos ou 876,1 milhões de euros).




Notícias Relacionadas:

2001-02-01 - Mercado de DVDs vai crescer 48 por cento em 2001

2000-10-11 - DVD já ultrapassa VHS no Japão

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.