Mantendo a sua contestação aos resultados da avaliação das propostas para atribuição das licenças de Televisão Digital Terrestre, a Airplus TV entregou ontem no Tribunal Administrativo de Lisboa uma providência cautelar para suspensão da eficácia do concurso e uma acção de impugnação do mesmo procedimento.

A empresa liderada por Luís Nazaré contesta a alegada utilização de parâmetros de avaliação que não estavam definidos nos elementos postos a concurso público. A Airplus já tinha ameaçado que poderia recorrer aos tribunais e avançado a hipótese de pedir um novo júri para avaliação das propostas.

Em comunicado a empresa volta a contestar a "alteração das regras do jogo", afirmando que foram divulgados novos parâmetros de avaliação no acto público de entrega das propostas.

Já se colocou a hipótese desta contestação poder atrasar o arranque da TDT em Portugal - cujas licenças foram atribuidas à PT nos serviços de subscrição e de sinal aberto - mas o ministro Santos Silva garatiu ao Jornal de Negócios que os prazos previstos para a implementação da TDT em Portugal serão cumpridos, afirmando que "os prazos destes concursos contemplam sempre uma previsão de suspensões como esta".

Notícias Relacionadas:

2008-07-15 - Airplus Tv pede novo júri para o concurso da TDT
2008-07-04 - Portugal Telecom garante canais gratuitos na TDT

2008-05-29 - Concorrente da PT na TDT ameaça com recurso a tribunais
2008-04-23 - Portugal Telecom e AirPlus TV entregam candidaturas à TDT

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.