As vendas de telemóveis no mercado português devem crescer apenas 2 por cento durante este ano. Os valores são avançados pela consultora IDC ao Diário Económico e contrastam com a subida de 16 por cento registada no mercado nacional em 2007.

Para o próximo ano as previsões são ainda menos optimistas, com a IDC a estimar que as vendas de telemóveis em Portugal baixem 2 por cento, enquanto na Europa deverão crescer 6 por cento.

Os efeitos da crise em Portugal surgem acrescidos da saturação inerente ao próprio mercado, com taxas de penetração que há muito superam os 100 por cento, salienta Francisco Jerónimo, responsável de research da IDC, em entrevista ao Diário Económico.

A somar a esses factores junta-se o facto de em Portugal os telemóveis não serem subsidiados, o que reduz muito o impulso para a troca de equipamentos por parte dos utilizadores.

Apesar da ameaça de crise, durante o primeiro semestre de 2008 as fabricantes de telemóveis conseguiram colocar no mercado nacional mais 2,7 milhões de terminais, uma subida de 14,6 por cento comparativamente a igual período de 2007.

Nota da Redacção: [18:53] A notícia foi corrigida no valor de venda de terminais no mercado nacional. Ao contrário do que havia sido referido pelo DE o volume foi de 2,7 milhões de terminais e não 5,7 milhões, uma nota de correcção feita pela própria IDC Portugal ao TeK.

Notícias Relacionadas:

2007-04-20 - Mercado de telemóveis com crescimento lento ao longo de 2007

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.