Os portugueses são os condutores que mais utilizam os smartphones ao volante das viaturas, representando 74% dos mil inqueridos no estudo “Global Driving Safety Survey”, realizado pela Liberty Seguros e a Prevenção Rodoviária Portuguesa. O estudo foi desenvolvido pela Liberty Mutual para avaliar o comportamento e as atitudes dos condutores em seis países onde a empresa está presente: Portugal, Espanha, França, Irlanda, Reino Unido e Estados Unidos.

Atrás de Portugal surgem os irlandeses e os norte-americanos, com 67%, seguem-se os franceses com 58%, os espanhóis com 55% e por fim os britânicos com 47% de utilizadores de telemóvel ao volante.

Dos 5.004 europeus e 3.006 americanos entrevistados, 83% dos condutores são millennials, 76% são da Geração X e 62% são baby boomers.

“A Prevenção e Segurança Rodoviária é uma área de importância crítica e estratégica para a Liberty Seguros e este estudo permitiu retirar alguns dados preocupantes, nomeadamente sobre a utilização do telemóvel durante a condução, que é um comportamento mais frequente entre a geração mais nova. A geração Millennial já cresceu com estes aparelhos e a principal razão para usarem o telemóvel enquanto conduzem é porque têm medo de perder alguma informação importante, ou de só terem acesso à mesma tarde demais. É o chamado FOMO – Fear Of Missing Out, que aqui se revela ter efeito em áreas sensíveis como a segurança”, refere Mike Sample, especialista em segurança de condução e consultor técnico da Liberty Mutual.

Relativamente ao uso, 69% dos portugueses admitem olhar para as mensagens e chamadas que estão a receber; 52% olham para as notificações; 26% verificam emails e mensagens; 25% fazem e enviam mensagens de áudio; 20% utilizam aplicações; 19% enviam emails e mensagens, e 18% acedem às redes sociais.

Estes números contrastam com os portugueses que seguem as normas de segurança durante a condução. Apenas 13% dos utilizadores inquiridos garantem que colocam os telemóveis fora do alcance durante a viagem. 73% tem o telefone com toque normal, 9% coloca em silêncio e 18% opta pelo modo vibração.

Média portuguesa acima dos valores europeus

Outra sondagem, a E-Survey of Road user’s safety Attitudes (ESRA), questionou 35.036 pessoas, das quais 998 são portuguesas. Os dados mostram que os portugueses apontam uma maior utilização do telemóvel durante a condução face à média da União Europeia. Pelo menos uma vez nos últimos 30 dias, 37,4% falaram ao telemóvel agarrando-o com as mãos, enquanto que a média europeia é de 28,6%. Relativamente aos sistemas de mãos livres, 65,7% dos portugueses utilizam-no, para uma média europeia de 47,7%.

José Miguel Trigoso, presidente da Prevenção Rodoviária Portuguesa, afirma que embora não seja ilegal, os sistemas de mãos-livres mantêm uma distração cognitiva semelhante ao estar com o dispositivo na mão.

Por fim, 43% dos portugueses consideram aceitável falar ao telemóvel com sistemas de alta voz, numa média de 33,8% na União Europeia; e apenas 1,6% acha que não faz mal segurá-lo na mão, neste caso o valor é inferior À UE que regista 3,5%.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.