O regulador norte-americano para o sector das telecomunicações mudou o sentido da sua recomendação a respeito das radiações emitidas pelos telemóveis. A Federal Communications Comission defende agora que os utilizadores americanos podem comprar qualquer um dos telefones à venda, pois todos eles asseguram o nível mínimode segurança para obterem a aprovação necessária à sua comercialização.

Na base da decisão está, segundo os responsáveis, a observação de que não existem provas científicas que demonstrem a relação entre as radiações emitidas pelos telefones e a saúde dos utilizadores. Existe também a convicção de que o facto de os equipamentos cumprirem o nível exigido pelo organismo para poderem ser colocados à venda, é garantia suficiente, não se vendo benefício em optar, dentro dos telefones disponíveis, por aquele que emita menos radiação.

A recomendação, agora patente no site de FCC, vai em sentido divergente da anteriormente apresentada, que aconselhava os consumidores a optarem por equipamentos que assegurassem menor grau de radiação.

As alterações à recomendação foram feitas durante a semana passada, sem dar lugar a qualquer anúncio oficial por parte da Comissão, o que levou a opinião pública a acusar o organismo de falta de transparência.

A questão é agudizada por vir à "ribalta" numa altura em que a indústria se mobiliza contra os esforços de alguns Estados para reforçar a legislação nesta matéria - exigindo maior clareza quanto às radiações emitidas pelos telefones comercializados. A decisão e a falta de "publicidade" fazem levantar suspeitas sobre se a decisão da FCC poderá ter sido influenciada por alguma pressão das fabricantes, relata o Washington Post.

Segundo a mesma fonte, a FCC recusou-se a comentar o assunto.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.