A Nokia mantém a sua confiança
no crescimento continuado na indústria de dispositivos móveis ao longo de
2003, mas calcula que este será mais modesto durante 2003, não ultrapassando os 10 por cento. A fabricante finlandesa antecipa um aumento dos desafios
que se colocam ao sector de infra-estruturas de comunicações sem fios para
esse ano, afirmaram ontem os responsáveis pela lider mundial na produção de
telemóveis durante um encontro com investidores que se realizou no estado
norte-americano do Texas.

"Vemos um potencial de crescimento em novas categorias de produtos, como os
jogos, a manipulação e edição de imagens e o mercado empresarial. Acreditamos
que conquistámos uma maior quota no mercado global de telemóveis em 2002, o
que nos aproximou ainda mais do nosso objectivo de 40 por cento" salientou
Jorma Ollila, presidente e director executivo da companhia.

A Nokia continua a manter a sua estimativa de que o volume total do mercado de
aparelhos atinja as 400 milhões de unidades em 2002, esperando que em 2003 se
assista a um crescimento de 10 por cento ou mais desse número. Segundo a
fabricante, este aumento será devido quer ao crescimento do número de
subscritores, quer a um ciclo de substituição de terminais marcado pela
estabilização. As suas previsões apontam ainda para um crescimento do mercado
de assinantes de serviços de comunicações móveis de 1,1 mil milhões no
final de 2002 a aproximadamente 1,5 mil milhões em 2005.

Por outro lado, a taxa anual de substituição de terminais móveis irá continuar
a crescer a partir do nível actual de 50 por cento. Presentemente,
ligeiramente mais do que um quarto dos assinantes em todo o mundo trocam de
terminal anualmente, o que conduz a um ciclo de substituição de cerca de dois
anos e meio. A duração deste ciclo alongou-se nos últimos 18 meses, mas agora
parece estar a estabilizar.

Para o ano completo de 2002, a Nokia espera que o mercado total de
infra-estruturas de comunicações móveis diminua cerca de 20 por cento, ao
passo que o mercado-alvo da companhia irá descer perto de 15 por cento. Para
o próximo ano, a fabricante finlandesa estima que o mercado total de
infra-estruturas de comunicações móveis sofra uma queda de 10 por cento, ao
passo que o mercado-alvo da empresa deverá apenas descer entre cinco a 10 por
cento.

A empresa indica que o mercado entrou numa nova fase caracterizada por funcionalidades
e serviços avançados, bem como por ecrãs a cores, capacidades de imagem, MMS
(Multimedia Message Service) e Java. Durante o ano que está prestes a findar, a Nokia
lançou 30 novos modelos, muitos dos quais incorporam essas funcionalidades
avançadas.



Em 2003, a empresa espera comercializar entre 50 a 100 milhões de
terminais com ecrã a cores, MMS, Java e browser de navegação na Web.
Destes, cerca de 10 milhões serão baseados no interface de utilizador da Série
60.

Notícias Relacionadas:
2002-11-05 - Nokia
afirma que mais de metade dos telemóveis que irá vender em 2003 vão suportar
MMS

2002-11-04 - Nokia
introduz nova série de serviços e produtos

2002-10-17 - Resultados da Nokia e da IBM geram optimismo nos
mercados

2002-06-28 - Nokia
coloca modelo 7650 de telemóvel no mercado

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.