Se aprovada, a lei define multas até 10 mil dólares por dia, por cada utilizador e no caso de várias infrações, explica o Engadget. Por outro lado, a legislação iria permitir que os utilizadores processassem as empresas que partilham os seus dados sem permissão explícita.

No entanto, o projeto de lei poderá passar por retrocessos, visto que vender dados de localização de utilizadores é um negócio que pode gerar milhares de milhões de dólares. No entanto, as principais operadoras americanas já vieram prometer que iam parar com este tipo de vendas, depois de um aviso da Federal Communications Commission.

Não querendo esperar por ações federais, algumas cidades e empresas estão a optar por tomar elas próprias iniciativas. Los Angeles, por exemplo, processou o proprietário da aplicação Weather Channel por uso de dados "fraudulentos", uma das aplicações identificadas num estudo recente que partilham dados pessoais dos utilizadores sem o seu conhecimento no iPhone.

Já no início deste mês de julho, uma investigação identificou 1.300 aplicações Android que recolhem dados pessoais mesmo sem permissão do utilizador. Concluiu-se que as apps conseguiam contornar as limitações impostas pelo utilizador, recolhendo dados de localização de fotos e informação pessoal de ligações a redes Wi-Fi.

Apesar de não estar garantido que seja aprovada, a lei pode ditar uma tendência futura das cidades estabelecerem as suas próprias regras sobre dados de localização.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.