O número de acessos telefónicos principais (analógicos e digitais) de rede fixa caiu em 61.172 nos três trimestres que compreendem o início de 2003 e o final do mês de Setembro do mesmo ano. Dados revelados hoje pela Anacom mostram que nos primeiros três meses do ano anterior o número de acessos diminuiu em 24.573 face ao valor apurado no final do ano anterior. Já entre o segundo e o terceiro trimestre a redução do número de acessos atingiu os 25.211.



A estagnação do mercado fixo de telefonia teve início ainda em 2001 e desde aí os números têm mantido a tendência de descida que entre trimestres se tem acentuado. Assim a diminuição do número de acessos principais entre 2001 e 2002 situou-se nos 20021, valor ultrapassado por duas vezes no ano seguinte em apenas três meses de contagem. Desde o início do ano a proporção entre acessos digitais e acessos analógicos manteve-se estável. Cerca de 32 por cento das linhas são analógicas, enquanto pouco mais de 8 por cento são digitais.



Desde o início do ano os acessos FWA mantiveram uma tendência de crescimento passando de um total de 8587 no final de 2002 para 13516 no final do terceiro trimestre de 2003.



PT com quota de mercado de 93,45%

A 31 de Setembro do ano passado as empresas do grupo Portugal Telecom continuavam a deter a liderança, em termos de quota controlando 93,45 por cento dos acessos telefónicos totais (incluindo postos públicos e parque próprio), deixando aos restantes operadores 6,55 por cento do mercado. Os números apurados significam que os novos operadores, em conjunto, aumentaram a sua quota de acessos telefónicos totais em menos de 2 por cento (1, 78 por cento) e nos acessos principais - que exclui postos públicos e parque próprio - menos de 1 por cento.



Estão habilitados para operar no mercado de comunicações fixas 25 prestadores de serviços, embora apenas 12 estejam em actividade e a disputar quota com o incumbente. Dois destes operam apenas no acesso directo, 3 através de acesso indirecto e 7 usando os dois tipos de acesso.



Tomando como medida o número de chamadas originadas nas redes fixas, a quota das empresas do grupo PT fixou-se nos 81,82 por cento contra 82,15 por cento no trimestre anterior. Neste caso a quota dos novos operadores ficou nos 18,18 por cento, tendo em conta o final do terceiro trimestre.



Também no que respeita ao tráfego de minutos de ligação a PT perdeu quota de mercado, mas na mesma ordem de grandeza que nas comparações anteriores, menos de um por cento (de 88,80 por cento para os 87,93 por cento), sobrando por isso 12,07 por cento do mercado para os novos operadores.



O tráfego total originado ao longo dos três meses, entre Julho e Setembro, foi de 2,95 mil milhões de minutos, correspondentes a 705,8 milhões de chamadas. O tráfego de minutos caiu, por isso, 9,17 por cento, face ao trimestre anterior, e 16,14 por cento, relativamente ao período homólogo, divulga a Anacom.



Os dados do regulador mencionam ainda a quantidade de números fixos portados no trimestre em análise, apontando para os 108.804. O valor representa um aumento de 21,17 por cento face ao final do segundo trimestre de 2003.



Notícias Relacionadas:

2002-12-04 - Tráfego na rede fixa diminuiu 6,8 por cento face a trimestre anterior

2002-09-03 - Novos operadores da rede fixa com crescimento mínimo no segundo trimestre

2002-03-28 - Novos operadores continuam a crescer mais no encaminhamento do tráfego internacional

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.