Com lançamento previsto para a terceira semana de junho, este satélite contou com a participação da D-Orbit Portugal. A empresa foi responsável por desenvolver e testar o software de bordo, o software da estação terrestre e o software de controlo para a experiência DeCas.

No âmbito do seu trabalho na Agência Espacial Europeia em Portugal (ESA BIC Portugal), incubadora coordenada pelo Instituto Pedro Nunes,  a empresa teve ainda a seu cargo os testes do hardware para a experiência Atmosphere Analyzer, que pretende validar uma abordagem inovadora de recolha de amostras de dados de uma determinada região da ionosfera.

Além desta experiência, o D-Sat envolve mais duas com âmbitos de caráter social e ambiental: a SatAlert, destinada a validar o protocolo de emergência MAMES, e a Debris Collision Alerting System (DeCas), para estudar as dinâmicas de fragmentação de um satélite durante a sua reentrada.

Mas o principal objetivo do D-Sat é mesmo o seu “descomissionamento”. Tal vai acontecer graças à tecnologia D-Orbit Decommissioning Device (D3), que permitirá ao D-Sat executar uma manobra de desmantelamento direta e controlada que causará a reentrada do satélite na atmosfera em apenas 30 minutos, causando a sua desintegração sobre áreas inabitadas.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.