A SpaceX e a T-Mobile concluiram com sucesso o envio e receção da primeira mensagem de texto entre a rede da operadora e os novos satélites da empresa espacial, que vão suportar o serviço Direct to Cell, que já se anuncia no site da Starlink.

Os primeiros seis satélites com suporte para o novo serviços foram lançados para o espaço no dia 2 de janeiro e vão ser a base de uma oferta que tem a ambição de eliminar do mapa da Terra as zonas cinzentas, onde hoje não é possível comunicar via telemóvel por falta de rede.

Para lançar este novo serviço, a SpaceX terá de reforçar a sua constelação de mais de 5 mil satélites explorados através da Starlink, com novos satélites. Estes, estarão equipados com um modem avançado eNodeB, que vai funcionar como uma torre de comunicações móveis no espaço e comunicar com outros pontos de ligação à rede, da mesma forma que nas comunicações em roaming.

Em Terra, basta ter um smartphone 4G normal para poder usar o serviço, que tem representado um desafio para os engenheiros das empresas envolvidas, pelo facto dos satélites estarem permanentemente em movimento.

O objetivo já conhecido da empresa espacial de Elon Musk é lançar um serviço comercial com base nesta tecnologia, já este ano, avançando primeiro com a possibilidade de trocar mensagens de texto (SMS). A partir de 2025, a oferta passa a integrar também internet móvel, voz e comunicações IoT. A T-Mobile confirma agora o mesmo calendário para os seus clientes, no âmbito da oferta que também pretende lançar.

Starlink prepara novo serviço de comunicações móveis via satélite
Starlink prepara novo serviço de comunicações móveis via satélite
Ver artigo

Outros anúncios semelhantes podem seguir-se, uma vez que a Starlink já tem outras parcerias idênticas, com operadores no Canadá, na Austrália, Nova Zelândia, Japão, Chile ou Peru.

“Na segunda-feira, 8 de janeiro, menos de seis dias após o lançamento enviámos e recebemos a primeira mensagem de texto de e para um telemóvel sem modificações no solo, para para os nossos novos satélites e usando o espectro da T-Mobile… o sistema funciona”, confirmou a SpaceX numa nota divulgada no site.

Nos últimos anos, vários projetos têm tentado eliminar as barreiras de hardware e software que se foram mantendo à integração entre comunicações de satélite e comunicações na rede móvel terrestre. A funcionalidade de emergência lançada com o iPhone 14 no ano passado é um resultado desse esforço, assim como vários outros avanços anunciados mais recentemente.

Em abril, a AT&T e a AST SpaceMobile anunciaram a realização da primeira chamada de voz na sua rede, usando a mesma tecnologia. Em setembro foi feita com sucesso a primeira chamada 5G da história para um smartphone normal, usando comunicações de satélite. A experiência juntou a Vodafone à AST SpaceMobile.

Veja o vídeo 

"O Direct to Cell funciona com telemóveis LTE existentes onde quer que se veja o céu. Não são necessárias alterações ao hardware, firmware ou aplicações especiais, proporcionando um acesso contínuo a texto, voz e dados", explica a SpaceX, acrescentando que vai permitir comunicações com um débito entre os 2 e os 4 Mbps.

A SpaceX tinha revelado ainda em agosto do ano passado que estava a trabalhar nesta área. A demora na obtenção das autorizações regulatórias necessárias e no acesso a espectro só permitiram que o projeto avançasse mais agora.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.