Com a mudança do sinal, os televisores sintonizados na televisão digital terrestre vão ficar sem imagem, apresentando o ecrã negro, e é preciso usar o comando da box para sintonizar de novo os equipamentos, um processo que é simples mas que se pretende que decorra sem sobressaltos, e por isso mesmo têm sido promovidas diversas campanhas de sensibilização na zona.

A migração da televisão digital terrestre (TDT) é uma parte fundamental da implementação do 5G em Portugal, e, de acordo com um calendário definido, arranca hoje no emissor Odivelas Centro, em Lisboa, avançando depois para o resto do país.

TDT: o que fazer para não perder o sinal da televisão gratuita esta quarta-feira?
TDT: o que fazer para não perder o sinal da televisão gratuita esta quarta-feira?
Ver artigo

Em termos técnicos este processo permite libertar a faixa de espectro dos 700 MHz que vai depois ser ocupada pelo 5G, mas obriga a que todos os televisores que estão sintonizados nesta frequência tenham de ser resintonizados, passando do canal 56 para o 35.

De notar que este processo não terá qualquer impacto numa parte dos utilizadores de TDT, designadamente aqueles que já estão a utilizar os canais 40, 42, 45, 46, 47 e 48", uma vez que estes se vão manter em funcionamento, segundo a Anacom.

O regulador das comunicações preparou um vídeo explicativo do processo de mudança.

Mudança da TDT por fases

O teste-piloto arranca em Odivelas e abrange 135 mil residências e áreas comerciais e estão abrangidas não só o concelho de Odivelas, como as freguesias de Lumiar, Carnide e Santa Clara em Lisboa, assim como a Encosta do Sol, na Amadora.

Embora não existam números exatos da população que utiliza o sinal da TDT para ver televisão, estima-se que rondará entre 13 e 14% o número de lares que depende exclusivamente deste sinal, não possuindo outros serviços de TV paga. Se forem contabilizadas segundas habitações e também outros televisores dentro da mesma casa, mesmo onde exista TV paga, a percentagem pode subir para 23%.

Depois deste teste piloto, as alterações dos restantes emissores que compõem a rede TDT, gerida pela Altice Portugal, estão previstas para o início do próximo ano.

A Anacom sublinha que estas alterações da rede de emissores da TDT, que vão decorrer no próximo ano, de sul para norte, terminando nas Regiões Autónomas, não implicam "substituir ou reorientar as antenas, trocar a televisão ou o descodificador; e ninguém terá que subscrever serviços de televisão paga".

Campanha de sensibilização alargada

Está marcada para hoje uma sessão que assinala esta mudança e que decorre na Câmara Municipal de Ofivelas, contando com o presidente da Anacom, João Cadete de Matos e o presidente da autarquia, Hugo Martin.

Durante esta semana, a Anacom levou a cabo uma ação de sensibilização na zona abrangida pela alteração do emissor para informar e esclarecer a população. No site do regulador foi criada uma zona de FAQ para responder às principais dúvidas.

Há ainda um número de telefone gratuito, 800 102 002, para o qual as pessoas que tenham que fazer a sintonia dos seus televisores ou descodificadores de TDT poderão ligar para obter ajuda. Vão ser ainda colocadas no terreno equipas no terreno da Anacom que podem apoiar na sintonização dos aparelhos, explica o regulador.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.