Localizada a 11 milhões de anos-luz de distância, a supernova descoberta na galáxia Messier 81 era de um tipo incomum, já que tinha menos hidrogénio do que é habitual na explosão de uma estrela. Algo roubou esse hidrogénio.

Os astrónomos desconfiaram desde o início que a SN 1993J ocorreu dentro do que é denominado como um sistema binário, onde a interação entre duas estrelas causa a explosão. As imagens do Hubble vieram ajudar a confirmar a teoria.

A SN 1993J é um exemplo de uma supernova Type IIb, explosões de estrelas pouco comuns que contêm muito menos hidrogénio do que o habitualmente encontrado num evento do género. Os astrónomos acreditam que isso acontece devido à existência de uma estrela companheira que rouba parte desse hidrogénio.

"Era como se tivéssemos uma cena de crime e agora, finalmente, identificámos o ladrão", refere Alex Filippenko, professor de astronomia da Universidade da Califórnia em Berkeley no comunicado da NASA que dá conta da descoberta. "A estrela companheira roubou alguma quantidade de hidrogénio antes da estrela primária ter explodido", explica.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.