O projeto consiste numa plataforma de comunicações "máquina-a-máquina" que servirá para monitorizar parâmetros relacionados com as diferentes fases de desenvolvimento das plantas, a otimização do processo de cultivo e a automação de diversas tarefas na estufa, em explorações agrícolas.

Através da comparação dos valores medidos com as regras pré-definidas pelo sistema, ou pelo utilizador, podem ser emitidos alertas para várias situações como falha no sistema de rega ou condições ambientais extremas que exijam medidas de precaução adicionais, entre outros.

"Esta informação pode ser facultada localmente mas, acima de tudo, de forma remota,
permitindo uma monitorização constante, mesmo quando não existe ninguém no local", sublinha-se num comunicado enviado à imprensa.

O protótipo inicial é composto por sete unidades, cada uma com oito sensores específicos, nomeadamente, de temperatura do ar, humidade no ar, temperatura do solo, humidade no solo, radiação solar, humidade ao nível da folha e quantidade de CO2. Os testes decorrem na estufa de propagação vegetal da Escola Superior Agrária de Coimbra.

O Apollo foi desenvolvido em parceria com a PT e pelo Instituto deTelecomunicações da UA, no âmbito do QREN.

Portugal tem vindo a somar pontos na área da modernização agrícola. Muito recentemente foi conhecido que o governo do Chile investiu na WiseNetworksm, uma startup que desenvolveu uma plataforma de monitorização de acesso online para plantações.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.