A loja de música da Nokia foi hoje lançada em Portugal com uma aposta forte nos conteúdos portugueses e na criação de um sentimento de comunidade. Associado a este lançamento estiveram várias bandas e músicos portugueses, que estrearam novos temas na loja da Nokia.

O TeK colocou algumas questões sobre o lançamento da loja a Nicolau Mesquita, Business Services and online manager da Nokia em Portugal, que explica as condições do lançamento e algumas das especificidades da loja.

[caption] Nicolau Mesquita[/caption]
TeK – A abertura da Music Store em Portugal já era esperada há algum tempo. Porque só agora este lançamento?
Nicolau Mesquita –
Este lançamento percorreu o processo normal dentro de uma subsidiária. Em todos os serviços e mesmo nos produtos de consumo o deployment não é imediato em todos os países. Para a Music Store tivemos um trabalho bastante intenso de localização de conteúdos, com uma aposta muito grande em conteúdos nacionais, que é uma das razões para demorar mais tempo. Nos últimos seis meses tivemos uma equipa totalmente dedicada ao desenvolvimento da loja em Portugal, com uma pessoa que veio da indústria da música, que também nos permitiu ter uma loja mais relevante para o mercado português.
Mas não estamos atrasados. A Music Store está em 14 países, Portugal é o 15º a receber a loja o que é uma posição importante!

TeK – Referiu a importância dos conteúdos nacionais na loja. Como é que isso se materializa?
N.M. –
Sabemos que os conteúdos portugueses são cada vez mais importantes para os consumidores e que 35% das compras são de músicas portuguesas, um segmento em crescimento. Os conteúdos nacionais são cruciais para o lançamento da loja.
Queremos que esta não seja só uma loja de música mas também uma comunidade e uma referência no panorama nacional e estamos a desenvolver várias iniciativas para isso, como a introdução do Nokia OnLive e a possibilidade de se ver vídeos, além de estarmos a desenvolver parcerias com blogs de música.
Já no arranque temos na loja 80% do catálogo de músicas portuguesas e vamos ter músicas exclusivas de algumas bandas, como os Buraka Som Sistema e dos Klepht. E vamos continuar a reforçar. Queremos que a Music Store seja uma montra para artistas portugueses e editoras e uma plataforma para lançamentos.

TeK – Essa integração de vídeos já está disponível noutras Music Store da Nokia ou é uma originalidade da loja portuguesa?
N.M. –
Vamos ser o primeiro país a lançar esta inovação de ter vídeo inserido com o Nokia OnLive, para já através de um pop-up mas numa segunda fase estamos a trabalhar para que esteja embebido na página.
Este piloto em Portugal mostra mais uma vez que somos um pólo de inovação e criatividade. A integração do vídeo foi uma ideia portuguesa mas que muito provavelmente vai ser alargada a outras lojas se o piloto em Portugal correr bem.

TeK – Mas os vídeos só podem ser vistos no PC e não no telemóvel…
N.M. –
Até ao Verão contamos ter vídeo também no telemóvel, desde que este integre um media player, o que abrange um volume considerável de terminais Nokia.
Mas quero realçar também a mobilidade que é uma das grandes vantagens da nossa loja, que permite ouvir e adquirir música no ambiente do PC e no telemóvel, com grande flexibilidade. Para além disso, com um único username e password posso aceder às minhas músicas em qualquer lado do mundo.
Outra funcionalidade inédita é o streaming de música, através do qual posso ouvir todo o catálogo de 5 milhões de faixas, sem limites, por 10 euros mensais.

TeK – Como é que a Nokia gere com os operadores móveis esta entrada num mercado onde este também têm as suas próprias lojas? Em Portugal os três principais operadores têm também lojas de música…

N.M. –

O que lhe posso dizer é que a nossa relação com os operadores é de parceria.
O posicionamento da Nokia na área dos conteúdos é estratégico e a entrada na área da música faz todo o sentido para a empresa.

Acho que neste segmento existe um grande potencial de mercado, com a apetência dos utilizadores pela música digital e não vejo que este lançamento traga canibalização.

TeK – Quais são as expectativas que têm de crescimento da loja em Portugal?

N.M. –
Face aos dados que temos de crescimento do mercado de música digital as expectativas são muito boas. O nosso desafio é conseguir cumpri-las.
Como sabe não divulgamos números, mas a ambição é muito grande. Em Portugal somos líderes de mercado em telemóveis e a ambição é também liderar na música digital. E a nossa qualidade e criatividade permite-nos ambicioná-lo.

Fátima Caçador

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.