Na madrugada do próximo domingo e segunda-feira, dia 21, vai ocorrer o próximo eclipse total da Lua, que se encontra em Super Lua. Será o primeiro e único do ano, e o próximo está apenas previsto para o dia 26 de maio de 2021.

A Lua entra na penumbra da Terra às 2:35, e a partir dai começa a ganhar tons acinzentados. Às 3:34 a Lua esconde-se na sombra da Terra e começa a ficar com tons mais avermelhados e acastanhados, criando uma Lua de Sangue, como explica o Observatório Astronómico de Lisboa.

O eclipse total está previsto para as 4:41, com a Lua a manter-se totalmente “escondida” na penumbra durante uma hora. O máximo do eclipse ocorre às 5:12, e passados quatro minutos, pelas 5:16, ocorre o instante da fase de Lua Cheia, marcando então o Eclipse Total da Super Lua. Às 5:44 termina o eclipse total, com o satélite a sair progressivamente da sombra, perdendo o tom vermelho e voltando ao cinzento. Às 7:50 a Lua sai totalmente da penumbra e volta à tonalidade habitual.

O observatório afirma que mais tarde, às 19:59 de segunda, a Lua estará no perigeu da sua órbita, a uma distância de 357.342 quilómetros da Terra, fazendo com que pareça 14% maior no céu, do que quando a Lua cheia ocorre no apogeu.

O eclipse será visível em Portugal e na Europa em geral, América e noroeste de África, e poderá ser assistido sem a utilização de óculos especiais, ao contrário do que acontece com os fenómenos solares. Deverá escolher um local sossegado, sem a saturação de luz das grandes cidades, e sentar-se a olhar o céu. Para o fenómeno ser observável, o céu tem de estar limpo e a linha de horizonte desimpedida.

Se preferir uma experiência diferente para assistir ao eclipse, o Centro Ciência Viva de Constância - Parque de Astronomia, vai abrir as portas ao público durante a noite do dia 20 para o dia 21 de janeiro, entre as 3 as 7 da manhã, para brindar os visitantes com um deslumbre único do eclipse total da Lua. Durante todo o fenómeno, o Centro Ciência Viva tem planos para atividades com o telescópio, referindo que às 5 da manhã, com a Lua perto do horizonte a Oeste, será possível observar Vénus e Júpiter – incluindo as suas quatro luas principais: Io, Europa, Ganimedes e Calisto.

A organização até tem um plano B previsto, para o caso de o céu estar nublado. Haverão “conversas com imagens” sobre os eclipses lunares às 3:30 da madrugada e uma sessão de planetário às 4:30. Neste vai ser possível simular o mesmo eclipse lunar a decorrer, que serão dinamizados pela equipa, liderados pelo seu diretor, o astrónomo Máximo Ferreira.

A visita é gratuita e sem marcação prévia, e com a oferta de chá e bolos aos participantes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.