O EMC Privacy Index também revela que a maioria dos consumidores são pouco ativos no controlo dos riscos à sua privacidade online (62% não mudam regularmente de passwords) e muito expansivos na partilha de dados em fóruns online como as redes sociais.



A maioria dos que responderam ao estudo considera que as medidas de proteção da sua privacidade é uma tarefa dos fornecedores de serviços e dos governos. No que se refere à partilha de dados em redes sociais muitos assumem que aí colocam grandes quantidades de informação, mesmo desconfiando que essa informação pode não ficar protegida, sendo que 4 em cada 10 nem mexem nas definições de privacidade destes serviços.



Só 27% dos inquiridos nesta pesquisa se mostraram disponíveis para, de forma consciente, fazer concessões relativamente à sua privacidade, em troca do acesso e utilização de serviços digitais que facilitassem a sua vida. No entanto, 81% dos inquiridos está consciente de que os níveis de privacidade online tendem a diminuir nos próximos anos.



O estudo da EMC visou 15 mil utilizadores em 15 países, um grupo onde Portugal não se inclui. O documento completo pode ser consultado online, a partir daqui.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.