Regressam as aulas, regressam as compras normalmente associadas a esta altura do ano, entre cadernos e mochilas. Mas a tecnologia assume hoje uma importância mais elevada que nunca na lista de itens que é preciso comprar para iniciar o ano letivo bem preparado. Com especial incidência num equipamento que não pode faltar: o computador.

As canetas e os cadernos estão mais baratos no regresso às aulas, mas a tecnologia também
As canetas e os cadernos estão mais baratos no regresso às aulas, mas a tecnologia também
Ver artigo

Para aceder à internet, para preparar trabalhos, para tudo… Não há método de estudo, do ensino primário à universidade, que dispense a utilização de um computador numa lógica diária. Mais do que isso, é preciso que a máquina possa, muitas vezes, fazer parte do conjunto de material que levamos para as aulas, pelo que chega a ser inevitável optar por um portátil. Até porque este pode assim servir outros propósitos que não o trabalho e o estudo, satisfazendo também algumas necessidades de entretenimento.

Nesses casos e nos que utilizamos o portátil a trabalhar ou a estudar, a escolha do modelo e da configuração depende do grau de exigência das tarefas a executar. Situações em que é necessário instalar e usar diariamente software mais exigente do ponto de vista dos recursos, por exemplo, vão fazer com que o portátil a selecionar tenha de estar mais bem equipado no interior, o que faz com que os preços subam.

Não são esses os modelos que incluímos neste artigo, são antes algumas sugestões que estão na entrada de gama e que se dirigem a uma utilização mais modesta e à base de Internet, suites de produtividade e multimédia. Por incluírem componentes menos recentes e/ou poderosos em termos de processamento e memória RAM, por exemplo, estes portáteis acabam por apresentar preços bastantes acessíveis e que se adequam perfeitamente às necessidades de quem procura um modelo para auxiliar estudantes até ao ensino secundário.

Por outro lado, nos tempos que correm já é possível encontrar portáteis abaixo dos 600 euros como apresenta a galeria acima (em promoção ou não) e que no que toca ao design conseguem ser relativamente finos e leves, outro requisito procurado por quem tem de transportar o computador todos os dias na mochila. Chassis a rondar 1 kg, espessura entre 1 e 2 cm, ecrã de 15,6 polegadas Full HD e teclados eficazes e tipo chiclete são características que “detetamos” facilmente mesmo neste segmento de preço.

Por outro lado, também pode ser possível selecionar um modelo com placa gráfica dedicada, processadores Intel acima do Core i3, por exemplo, e um standard de configuração assente em 8 GB de memória RAM e disco rígido de 1 TB (128 GB se for SSD, em alguns casos).

Para complementar, pode ainda procurar os melhores acessórios para utilizar com o portátil, visto que a máquina em si, como sabemos, nem sempre é suficiente par colmatar as nossas necessidades informativas no estudo ou no trabalho, por menos exigentes que sejam.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.