Graças ao telescópio espacial, investigadores da Catholic University of America identificaram a presença de moléculas carregadas eletricamente com a forma de bolas de futebol, que projetam luz sobre os misteriosos conteúdos do chamado meio interestelar (ISM na sigla em inglês) – o conjunto de gás e poeira que preenche o espaço interestelar.

"Dado que as estrelas e os planetas se formam a partir de nuvens de poeira e gás que se colapsam no espaço, o ISM difuso pode considerar-se como o ponto de partida dos processos químicos que, em última instancia, dão origem aos planetas e à vida", afirma Martin Cordiner, que coordenou o estudo sobre a descoberta.

A identificação completa do seu conteúdo fornece informação sobre os ingredientes disponíveis para criar estrelas e planetas, explicou o investigador.

As moléculas identificadas por Martin Cordiner e a sua equipa são uma forma de carbono conhecida como Buckminsterfullerene, cuja estrutura se assemelha a uma bola de futebol. Dominam-se C60 por serem constituídas por 60 átomos de carbono, dispostos numa esfera oca.

Tais moléculas são raramente encontradas em rochas ou minerais na Terra. Já tinham sido detetadas no Espaço antes, mas nunca numa versão eletricamente carregada (ionizada) no ISM difuso.

Pode encontrar o abstrato do estudo no Astrophysical Journal Letters.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.