A Linux Foundation quer ajudar as autoridades na área da saúde a combater a pandemia de COVID-19 através de tecnologias open source. A iniciativa Linux Foundation Public Health (LFPH) está agora a desenvolver dois projetos de rastreamento de contactos que têm por base as APIs desenvolvidas pela Google e pela Apple: a COVID Shield e a COVID Green.

A organização sem fins lucrativos explica que a iniciativa quer reunir uma comunidade global de empresas tecnológicas, autoridades na área da saúde, especialistas em epidemiologia e programadores para fazer face à pandemia que continua a assolar o mundo. A LFPH conta também com a parceria da Cisco, da doc.ai, da Geometer, da IBM, da NearForm, da Tencent e da VMware.

A COVID Shield está a ser implementada no Canadá e em alguns estados norte-americanos. A aplicação foi desenvolvida por uma equipa de voluntários composta por 40 developers da canadiana Shopify e da Canadian Digital Services.

COVID Shield

A solução tecnológica não está disponível para download pelo público, sendo apenas utilizada como um ponto de partida para a criação de aplicações de rastreamento por parte das autoridades de saúde locais.

A aplicação está programada para funcionar através de Bluetooth, recolhendo e partilhando códigos de identificação com os smartphones que estejam por perto e que a tenham instalada. Caso seja diagnosticado com COVID-19, um utilizador poderá alertar outras pessoas e partilhar anonimamente os seus dados.

o COVID Green baseia-se na aplicação desenvolvida pela NearForm como parte da resposta do Governo irlandês à pandemia. Em apenas duas semanas, a COVID Tracker foi adotada por um terço dos adultos do país. Agora, o código que está na base da sua criação poderá ser utilizado por outros países para desenvolverem as suas próprias aplicações de rastreamento de contactos.

A LFPH desenvolveu também um dashboard interativo que permite acompanhar o surgimento e desenvolvimento de novas soluções tecnológicas de rastreamento de contactos em todo o mundo.

Linux Foundation Public Health Landscape
créditos: LFPH
STAYAWAY COVID: Os quatro "pecados mortais" da app portuguesa na visão da associação de defesa dos direitos digitais
STAYAWAY COVID: Os quatro "pecados mortais" da app portuguesa na visão da associação de defesa dos direitos digitais
Ver artigo

Em Portugal, a aplicação STAYAWAY COVID já está a ser testada junto de um grupo alargado de utilizadores, com mais de 13 mil pessoas a serem contactadas para instalar a aplicação. Com a aproximação da data de lançamento da aplicação, a Associação D3 - Defesa dos Direitos Digitais destacou recentemente a sua preocupação e apreensão pela falta de transparência no seu desenvolvimento.

A Associação criou também o site rastreamento.pt para ajudar a compreender as soluções de rastreamento de contactos e para esclarecer a decisão de as instalar ou não, uma vez que considera que grande parte das questões sobre a aplicação que está a ser desenvolvida pelo INESC TEC, financiada com verbas públicas pela FCT e apoiada oficialmente pelo Governo e a Direção Geral de Saúde, não estão respondidas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.