Uma nova análise levada a cabo por investigadores da Mozilla revela que, no que toca à proteção da privacidade e segurança dos utilizadores, as aplicações de saúde mental, assim como as apps religiosas, são as que mais se destacam pela negativa.

Ao todo, os especialistas analisaram as práticas de privacidade e segurança de um conjunto de 32 aplicações que se enquadram nestas categorias. Deste conjunto, 29 levantam sérias preocupações no que toca à gestão dos dados dos utilizadores. Além disso, 25 das aplicações analisadas falham em relação à segurança de quem as usa.

Entre as aplicações com as piores práticas de privacidade e segurança incluem-se a Better Help, a Youper, a Woebot, a Better Stop Suicide, a Pray.com, e a Talkspace. No guia online Pivacy not Included, os investigadores detalham que as apps em questão dispõem de polícias de privacidade vagas ou confusas; partilham informação pessoal com terceiros; ou fazem transcrições de conversas.

Quase todas as aplicações em análise recolhem dados acerca dos utilizadores e, em muitos casos, mais do que seria esperado. Algumas aplicações recolhem também dados adicionais dos smartphones, através de aplicações terceiras, como o Facebook, ou por meio de entidades que compilam dados, conhecidas como data brokers.

Aplicações de saúde mental: Aliadas ou inimigas? A popularidade é crescente, mas os riscos também
Aplicações de saúde mental: Aliadas ou inimigas? A popularidade é crescente, mas os riscos também
Ver artigo

Apesar de recolherem informação particularmente sensível, as práticas de segurança das aplicações deixam a desejar. Por exemplo, oito das apps permitiam que os utilizadores tivessem passwords fracas. Os investigadores indicam que houve dificuldades em perceber se as apps faziam atualizações de segurança regulares.

Uma vez que muitas destas aplicações se destinam a um público-alvo mais novo, os jovens estão em risco e os especialistas avisam que os pais devem prestar atenção à forma como a privacidade dos seus filhos está a ser gerida.

Os investigadores da Mozilla indicam também que as empresas responsáveis pelas aplicações são quase incontactáveis. Apenas uma respondeu às suas questões em tempo útil e outras duas deram resposta após terem sido enviados três emails.

Por contraste, apenas duas das aplicações analisadas se destacam pela positiva no que respeita às suas políticas de privacidade e segurança: a PTSD Coach, concebida para ajudar veteranos de guerra dos Estados Unidos; e a Wysa, que dispõe de um chatbot “alimentado” por Inteligência Artificial.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.