A Federação Portuguesa do Táxi (FPT) põe a hipótese de organizar um novo protesto contra às chamadas plataformas de transporte de passageiros em veículos descaracterizados (TVDE), dada a inexistência de resposta do Governo quanto a uma exigência feita há cinco meses.

Em setembro de 2018 os taxistas avançaram com uma paralisação que só terminou com a promessa do Partido Socialista (PS) de levar à Comissão Independente para a Descentralização (CID) a reivindicação de transferir para as autarquias a gestão do transporte de passageiros pedidos através de aplicações como a Uber, Cabify, Taxify. Volvido este tempo, ainda não houve resposta nem sequer contactos para a discussão do tema, de acordo com o noticiado pela TSF.

“Desde essa altura nunca mais fomos informados por parte do grupo parlamentar do PS nem da Comissão. Estávamos à espera que a própria Comissão nos convocasse para abordar o tema, mas até hoje também não houve nenhuma iniciativa por parte da Comissão", referiu o presidente da FTP, Carlos Ramos, em declarações à radio.

“No que diz respeito à Federação Portuguesa do Táxi naturalmente que estamos disponíveis para fazer qualquer coisa, não vou neste momento dizer o quê, mas não vamos ficar quietos. Isso é ponto assente”, acrescentou o responsável.

A Federação Portuguesa do Táxi dirigiu já um ofício ao presidente do grupo parlamentar do PS, Carlos César, a pedir uma reunião para que possam esclarecer todas as questões sobre as propostas para a descentralização deste sector.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.